• Visualizações 3177

Remédio Tamiflu, contra gripe A, passa a ser vendido sem retenção de receita

Medida significa que a receita médica não precisará mais ficar retida na farmácia, mas ainda deve ser apresentada na hora da compra ou da retirada.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O remédio antiviral oseltamivir, usado contra a gripe A – H1N1 e vendido no Brasil com o nome comercial Tamiflu, foi retirado da lista de controle especial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa.

A resolução foi publicada no Diário Oficial da União de terça-feira, dia 10. A gripe H1N1 em 2009 matou mais que o estimado, diz estudo. A medida significa que a receita médica não precisará mais ficar retida na farmácia, mas ainda deve ser apresentada na hora da compra ou da retirada em um posto de saúde, gratuitamente.

Segundo o Ministério da Saúde, a decisão foi tomada para facilitar o acesso ao medicamento, que tinha a venda restrita para que a população não abusasse do princípio ativo. Além disso, não eram conhecidos os possíveis efeitos do Tamiflu sobre as mulheres grávidas, o que posteriormente não demonstrou contraindicações.

O remédio continua precisando de receita, pois tem tarja vermelha, e ninguém deve se automedicar. Pacientes com receita médica particular também podem pegar o Tamiflu gratuitamente na rede pública. Este ano, o Ministério da Saúde enviou 418,8 mil caixas do produto aos estados, e cada região deve determinar onde o estoque deverá ficar disponível à população.

O laboratório Roche, que produz o Tamiflu no Rio de Janeiro e na Suíça, diz que as farmácias que estiverem em falta do antiviral precisam fazer a solicitação. No país, muitos estabelecimentos estão sem o remédio. O preço máximo ao consumidor, segundo a fabricante, é de R$ 195,93 para a versão de 75 mg. Cada caixa contém 10 comprimidos, suficientes para um tratamento completo.

Para ter eficácia, o uso do antiviral deve ser iniciado nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas. Mas, mesmo que esse período seja ultrapassado, o Ministério da Saúde indica a prescrição.

O oseltamivir é usado em casos em que os sintomas já se instalaram, principalmente crianças e idosos. Já a vacina funciona de forma preventiva para os grupos de risco. Além do oseltamivir, a gripe suína pode ser tratada com o remédio zanamivir, que é importado.

Informações de G1

FOTO: ilustrativa / diarioregional

Compartilhar

Anvisa suspende venda de suplemento alimentar com estimulante proibido

Avançar »

Campanha faz alerta sobre uso excessivo de remédios para melhorar o desempenho escolar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo
home_central_vertical