• Visualizações 559

Brasileiros são os que mais usam emagrecedores na América Latina

Enquanto a média de consumo latino-americana do medicamento é 8%, no Brasil 12% dos entrevistados recorrem a este tipo de remédio.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Os brasileiros são os latino-americanos que mais consomem remédios para perder peso e os mais insatisfeitos com a silhueta. A conclusão é da empresa especializada em pesquisa de consumo Nielsen Holding, depois de ouvir 25 mil pessoas, por meio da internet.

O estudo, que analisou várias regiões além da América Latina, mostra que 12% dos brasileiros usam emagrecedores, sendo que a média de consumo do medicamento é 8%. Na Venezuela e no Peru, apenas 4% recorrem a esse tipo de remédio.

Além disso, 43% dos brasileiros entrevistados dizem estar um pouco acima do peso e 16% dizem estar acima do peso. Apenas 30% se mostram satisfeitos com o peso atual. Os chilenos também se destacam como os que se consideram muito acima do peso: são 8%. Entre os brasileiros, 3% se enquadram nesse perfil.

Os colombianos, por outro lado, são os mais contentes com a aparência – 44% consideram o seu peso satisfatório e 38% dizem estar um pouco acima do peso. A média de satisfação na América Latina é 37%.

Metade dos brasileiros tenta perder peso

O estudo mostra ainda que 50% dos brasileiros tentam atualmente perder peso de alguma forma. Desses, 76% apelam para a mudança na dieta e 64% dizem estar fazendo exercícios.

Os mexicanos são os que mais buscam estar em forma – 60% tentam perder peso. Desses, 66% fazem exercícios físicos, os recordistas no quesito na região. Os que menos se exercitam são os peruanos – apenas 49%, entre os que buscam perder peso.

INFORMAÇÃO – O estudo mostra também que 52% dos latino-americanos não entendem nada ou apenas parte das informações nutricionais contidas nas embalagens dos alimentos. Os latino-americanos (64%) são os que mais defendem a inclusão de informações calóricas nas embalagens, contra 53% dos europeus e apenas 28% dos africanos e árabes.

Com informações de Agência Brasil

FOTO: ilustrativa / GettyImages

Compartilhar

Anvisa suspende distribuição de 156 produtos ortopédicos

Avançar »

Crianças criadas com afeto têm área do cérebro 10% maior que as demais, afirma estudo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*