Teste do SUS que identifica HIV em gestantes passará a apontar sífilis também

Diagnóstico da doença, que pode causar má-formação do feto, aborto ou morte da criança, tem que ser feito o mais precocemente possível.

 Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Os testes rápidos para gestantes, que diagnosticam HIV/aids no Sistema Único de Saúde – SUS, também identificarão sífilis. A mudança começa em 2012. A expectativa é que 4,5 milhões de kits sejam distribuídos por meio do programa Rede Cegonha.

Quem informa é o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco. “A sífilis tem um diagnóstico fácil, um tratamento completamente eficaz, mas o Brasil ainda tem em torno de 12 mil casos de sífilis congênita por ano”, disse, em entrevista ao programa Brasil em Pauta.

O diretor destacou que, no caso de gestantes, o diagnóstico da doença deve ser feito o mais precocemente possível, para evitar danos ao bebê. Segundo ele, a estimativa da pasta é que cerca de 3,3 milhões de mulheres engravidem todos os anos no país.

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum, que pode se manifestar em três estágios. A maioria dos sintomas acontece nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura.

SINTOMAS – Os primeiros sintomas são pequenas feridas nos órgãos sexuais e gânglios nas virilhas (ínguas), que surgem entre sete e 20 dias após o sexo desprotegido com alguém infectado. A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Ao alcançar um certo estágio, podem surgir manchas em várias partes do corpo (inclusive mãos e pés) e queda dos cabelos.

A infecção é grave e pode causar má-formação do feto, aborto ou morte da criança. O diagnóstico se dá por meio de exame de sangue, que deve ser prescrito no primeiro trimestre da gravidez. O recomendado é refazer o teste no terceiro trimestre da gestação e repeti-lo antes do parto, já na maternidade.

Informações de Agência Brasil

FOTO: divulgação

Compartilhar

Subcomissão do Senado sugere proibir propaganda de bebidas alcoólicas

Avançar »

Oftalmologista dá dicas para manter os olhos saudáveis no verão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*