• Visualizações 509

Verão contribui para aumento nos acidentes de trânsito

Oftalmologista alerta para riscos de óculos sem proteção e que não resistem a impactos. E avisa: insufilm irregular diminui senso de velocidade.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A claridade do sol nas viagens de férias pode se transformar em um verdadeiro desastre se os motoristas não tomarem alguns cuidados.

A pesquisa Saúde 2009, do Ministério da Saúde, aponta que em 2008 os acidentes de trânsito responderam por 26,9% das mortes violentas entre homens e 30% das ocorrências entre mulheres.

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, perito em medicina do trânsito e membro da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego – Abramet, dirigir contra o sol, sem proteger os olhos, é uma importante causa de acidentes porque diminui a visibilidade.

A claridade do verão acentua o problema que é mais intenso em quem tem fotofobia – aversão à luz. Em algumas pessoas, pode estar relacionada ao astigmatismo, irregularidade da superfície da córnea que torna as imagens desfocadas, inflamações nas porções posteriores dos olhos ou a medicamentos que aumentam a sensibilidade à luz.

O especialista diz que óculos sem filtro solar são mais prejudiciais que a falta deles. Isso porque dilatam a pupila e fazem entrar mais radiação nos olhos, o que aumenta o risco de catarata e lesões na retina que ainda não têm tratamento eficaz.

A segunda dica do médico é optar por lentes resistentes a impactos. Um estudo conduzido na Espanha, comenta, mostra que o disparo do airbag eleva o risco de perfuração ocular entre pessoas que trafegam sem óculos e dobram o perigo entre as que usam lentes de cristal. “Para proteger os olhos no trânsito a melhor opção são as lentes inquebráveis de policarbonato” afirma.

Cores das lentes

Adequar a condição da saúde ocular à cor da lente também é importante, de acordo com as características do usuário. Confira:

– Cinza: a mais adequada para quem tem astigmatismo porque reduz o brilho e não distorce as cores.

– Âmbar ou marrom: melhora o conforto de míopes e hipermétropes por aumentar a visão de contraste, além de filtrar a luz azul que também está relacionada ao desenvolvimento da catarata.

– Verde: ideal para maiores de 60 anos por oferecer a melhor visão de contraste que diminui com a idade. Também filtra um pouco da luz azul.

– Amarela: reduz o ofuscamento do motorista no lusco-fusco do entardecer e filtra a luz azul, mas diminui a visão de contraste em horários de muita luminosidade.

– Fotossensível: para quem precisa usar lente corretiva, protege da radiação durante o dia e pode ser usada à noite.

Insufilm irregular diminui senso de velocidade

O excesso de velocidade é a maior causa de acidentes de trânsito e a infração que mais gera multas, segundo a Polícia Militar Rodoviária.

Queiroz Neto explica um dos motivos para tanta “pressa” é a aplicação de insufilm acima do permitido pela legislação. Isso porque, quanto mais baixa a visibilidade, menor é o senso de velocidade.

A Polícia Rodoviária Federal já começa a se equipar para aferir a transparência do insufilm – 75% no vidro dianteiro, 70% nos laterais dianteiros, e 28% nos demais. A fiscalização vai multar em R$ 127,69 os veículos com película mais escura que o permitido e apreender até a troca do insufilm.

Informações de LDC Comunicação

FOTO: ilustrativa / GettyImages

Compartilhar

Pesquisa revela quantidade de brasileiros com hepatite A em 2008

Avançar »

Novo Hamburgo: Justiça libera ampliação de leitos no Hospital Geral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*