• Visualizações 752

Rio Grande do Sul é um dos poucos estados sem risco de epidemia de dengue

Dezenove estados do Brasil foram classificados como de risco alto ou muito alto; Ministério da Saúde anunciou nova ferramenta, chamada Risco Dengue.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Apenas Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia, Roraima, Acre e Distrito Federal têm risco moderado ou baixo de enfrentar epidemia de dengue no próximo verão.

Isso significa que dezenove estados do Brasil foram classificados como de risco alto ou muito alto. O alerta é do Ministério da Saúde, que na quarta-feira, dia 1º, anunciou uma nova ferramenta para avaliar o risco de epidemia da doença, a Risco Dengue.

O ministério informa que o risco é maior em regiões urbanas que não tenham enfrentado epidemia recentemente. “Ausência ou deficiência dos serviços de coleta de lixo e abastecimento de água, além do índice de infestação pelo mosquito transmissor, também são indicadores importantes de risco para dengue”, afirma, em comunicado.

De acordo com a pasta, o Risco Dengue utiliza dados de estados e municípios e define ações no Sistema Único de Saúde – SUS. A ferramenta se baseia em cinco critérios básicos. Três são do setor de saúde: incidência de casos nos anos anteriores, índices de infestação pelo mosquito Aedes aegypti e tipos de vírus em circulação. Os outros dois são cobertura de abastecimento de água e coleta de lixo e densidade populacional.

A nota afirma ainda que o mapa não considera uma eventual dispersão do vírus do tipo 4 (DEN-4), que hoje está restrito ao estado de Roraima. O sorotipo foi encontrado no estado da região Norte em agosto, após 28 anos sem circulação no Brasil. Mesmo assim, segundo o comunicado, “o Ministério alertou todas as unidades da Federação para intensificar o monitoramento viral”.

Informações de Época

FOTO: ilustrativa / picsdigger.com

Compartilhar

Setembro é o mês do idoso em Novo Hamburgo

Avançar »

Estudo aponta paracetamol como remédio também para dores emocionais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*