Senadores rejeitam redução de suplentes

PEC também previa a proibição de parentes de sangue de até segundo grau ficassem nos cargos. Matéria teve 17 votos contrários e uma abstenção.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A “agenda positiva” inaugurada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), após a onda de manifestações populares sofreu um revés na noite desta terça-feira, dia 09.

A proposta de emenda à Constituição – PEC que reduzia o número de suplentes, de dois para um, e proibia que parentes de sangue de até segundo grau ficassem nessas posições foi rejeitada pelo plenário.

O projeto, de autoria de José Sarney (PMDB-AL), teve apenas 46 votos favoráveis e necessitava da aprovação de, no mínimo, 49 senadores. A matéria teve 17 votos contrários e uma abstenção.

Antes de ver a ideia derrotada, Sarney defendeu a aprovação da PEC em plenário, dizendo que a existência de dois suplentes “é uma situação que só ocorre no Brasil e acaba servindo para composições políticas espúrias e não para o benefício das instituições”.

Informações de ZH

FOTO: reprodução / ZH

Compartilhar

Piratini decide retirar pedido de urgência do passe livre estudantil

Avançar »

Senadores pedem lista de voos da FAB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*