Falta de acordo político adia votação da Lei Geral da Copa para fevereiro

Liberação de bebidas alcoólicas em estádios e responsabilidade da União por danos ocorridos durante evento são polêmicas.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Os deputados da Comissão Especial da Câmara não conseguiram entrar em acordo sobre o texto da Lei Geral da Copa, do relator Vicente Cândido (PT-SP). Assim, a votação que deveria ter sido realizada nesta terça-feira, dia 20, ficou para fevereiro.

A liberação da venda e do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios, para atender aos interesses de patrocinadores, foi o principal ponto de discórdia. Em função das divergências, deputados que estavam na comissão para votar o substitutivo de Cândido deixaram de assinar a lista de presença para evitar o quórum mínimo necessário, principalmente os parlamentares contrários à liberação de bebida nos estádios.

A responsabilidade civil da União por danos ocorridos durante a Copa das Confederações, em 2013, e Copa do Mundo, no ano seguinte, é outro ponto sem acordo. Também há polêmica em torno da meia entrada e do ingresso social para os idosos. O texto do relator garante a reserva de 300 mil ingressos populares, que não custarão mais de R$ 50, para estudantes, indígenas e beneficiários do programa Bolsa Família.

Informações de Agência Brasil

FOTO: José Cruz / ABr

Compartilhar

Julgamento dos réus do Mensalão deve acontecer em maio de 2012, diz jornal

Avançar »

Seleção Brasileira: “Periga não passar nem da primeira fase”, avalia Romário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*