Novo Hamburgo: Inconformados entregam 10 mil assinaturas na Câmara contra mais vereadores

Movimento que deseja alterar Lei Orgânica do município, para impedir o aumento no número de vereadores da cidade, foi recebido pelo presidente da Casa, Leonardo Hoff.

Mônica Neis Fetzner monica@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Vestidos com a mesma camiseta preta, que estampa “exercício da cidadania” nas costas, membros do movimento Mobiliza Inconformados entregaram 10 mil assinaturas de eleitores hamburguenses na Câmara de Vereadores nesta quarta-feira, dia 27.

O abaixo-assinado é base para um projeto de iniciativa popular para alterar a Lei Orgânica de Novo Hamburgo, que atualmente possibilita a posse de 21 vereadores em 2013. Hoje, são 14. Para isso, é necessário reunir assinaturas de 5% do eleitorado hamburguense, o que equivale a aproximadamente nove mil pessoas.

O presidente da Câmara Leonardo Hoff (PP) recebeu os representantes do Inconformados na sala de reuniões da Casa. “Este é um fato histórico, porque Novo Hamburgo não tem em seu DNA a participação popular. Tomara que a nossa comunidade participe desta forma em outros pleitos”, salientou Hoff.

Quem falou pelo movimento, que faz questão de destacar que é apartidário e não tem um único líder, foi Alexandre Robinson. “Sempre fui um inconformado, e participo deste movimento desde o início. Vi uma grande manifestação espontânea para com o nosso pleito. Neste tempo recolhendo assinaturas, encontrei apenas duas pessoas a favor do aumento do número de vereadores”, relatou.

SENSIBILIDADE – Robinson pediu ao presidente da Câmara sensibilidade política e uma decisão rápida. “Entregamos aqui um manifesto claro de pessoas contrárias ao aumento. Não há necessidade, porque é esta pseudo-representatividade que faz do Brasil o que é hoje. Não somos representantes de nenhuma entidade, e sim da população, que é colocada de lado depois das eleições e vira apenas um número de CPF”, concluiu.

Beatriz Selbach, terapeuta de família, também se dirigiu ao presidente da Casa. “Que este grupo seja sábio ao analisar nosso pedido, porque Novo Hamburgo está precisando. Temos muita gente boa na Câmara. Os vereadores só precisam acordar”, argumentou.

Movimento já sabe o que

fazer em caso de negativa

Os vereadores hamburguenses têm agora 60 dias para avaliar a situação. Caso decidam por não atender o pedido do movimento, os inconformados já sabem o que fazer. “Nós já temos mais de 10 mil assinaturas, e vamos continuar buscando outras até atingir a quantidade necessária para um referendo”, explica Leila Maria Holz, auxiliar administrativa. “Dizem que o poder emana do povo, não é?”, completou.

O referendo serve para validar projetos quando casas legislativas se opõem a estes. No caso de Novo Hamburgo, são necessárias 18 mil assinaturas para acionar este instrumento – 10% do eleitorado.

“Nós só queremos o bem para a cidade de Novo Hamburgo”, resumiu Ivete Dieter, advogada que fez questão de salientar ser uma cidadã do Mobiliza Inconformados. “Nossa intenção era apenas entregar as assinaturas, mas a recepção foi uma surpresa. Esperamos agora que os vereadores atendam nosso pedido.”

FOTOS: Mônica Neis Fetzner / novohamburgo.org

Compartilhar

Novo Hamburgo: Vereador Ito Luciano perderá mandato se Justiça aceitar pedido do Ministério Público

Avançar »

Senado retoma trabalhos e vai analisar projetos de interesse do cidadão

Um comentário

  1. E.Luiz da Cunha
    11 de agosto de 2011

    Hoje não vou deixar minha opinião sobre nenhuma questão que envolve nosso munici
    pio.O que na verdade vou fazer, é deixar
    uma pergunta no ar,cuja resposta eu não
    tenho: O QUE A CIDADE DE N.H.GANHA COM
    O PATROCÍNIO,PELA PREFEITURA,DE ESPAÇOS
    DE SAUDE, NA RÁDIO GAUCHA ? Se alguém s
    ouber a resposta,por favor,me esclareça.
    Obrigado.
    CUNHA.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*