Câmara tem oito projetos de lei que regulamentam união homoafetiva em tramitação

Um deles propõe aplicar à união estável gay os dispositivos do Código Civil referentes a união estável entre homem e mulher, com exceção do artigo que trata sobre a conversão em casamento.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Oito projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados regulamentam direitos relacionados à união homoafetiva. Entre as propostas estão a possibilidade do casamento entre homossexuais e a obrigatoriedade das operadoras de plano de saúde em aceitar cônjuge do mesmo sexo.

Os dados fazem parte de levantamento realizado pelo Núcleo de Assessoramento Técnico da Câmara dos Deputados. Conforme o núcleo, há ainda outros dois projetos em andamento sobre a união homossexual, mas que restringem direitos em vez de ampliá-los.

Na última quinta-feira, 05, o Supremo Tribunal Federal – STF reconheceu, por unanimidade, a união estável entre casais do mesmo sexo como entidade familiar. Com isso, homossexuais podem ter os mesmos direitos previstos na lei 9.278/1996, a lei de união estável, que considera como entidade familiar “a convivência duradoura, pública e contínua”.

Leia Mais

União estável de homossexuais é reconhecida por unanimidade no Supremo

A decisão permite que os homossexuais obtenham divisão da guarda e sustento dos filhos, possibilidade de pensão alimentícia, herança em caso de morte e partilha de bens em caso do fim da união. A lei de união estável também determina facilidades para conversão da união em casamento, mas a permissão do casamento entre pessoas do mesmo sexo gerou divergências entre os ministros do STF.

O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, disse que, apesar da decisão do STF, o Congresso precisa discutir e votar leis que delimitem os direitos em conseqüência do reconhecimento da união estável.

As oito propostas são:

Projeto

Autor

O que propõe

Andamento

4530/04

Comissão Especial que acompanha e estuda propostas de políticas públicas para a juventude e deputado Benjamim Maranhão (PMDB-PB) Aprova o Plano Nacional de Juventude. Prevê apoio psicológico, médico e social ao jovem em virtude de sua orientação sexual e à sua família; combate à discriminação no emprego em virtude da orientação sexual. Também cria delegacias especializadas em crimes contra homossexuais. Pronto para ser votado pelo plenário.
6297/05 Maurício Rands (PT-PE) Incluir na situação jurídica de dependente, para fins previdenciários, o companheiro homossexual do segurado (a) do INSS e o companheiro homossexual do servidor (a) civil da União. Pronto para ser votado pelo plenário.
580/07 Clodovil Hernandez (PR-SP) Altera o Código Civil, para dispor sobre o contrato civil de união homoafetiva. Aguarda parecer da Comissões de Seguridade Social e Família e Constituição e Justiça e de Cidadania.
4914/09 Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), Maria Helena (PSB-RR), Celso Russomanno (PP-SP), Ivan Valente (PSOL-SP), Fernando Gabeira (PV-RJ), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), Solange Amaral (DEM-RS), Marina Maggessi (PPS-RJ), Colbert Martins (PMDB-BA), Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) e Professora Raquel Teixeira (PSDB-GO) Aplica à união estável de pessoas do mesmo sexo os dispositivos do Código Civil referentes a união estável entre homem e mulher, com exceção do artigo que trata sobre a conversão em casamento. Aguarda a apreciação conclusiva (sem necessidade de ir ao plenário) da Comissões de Seguridade Social e Família.
3712/08 Maurício Rands (PT-PE) Altera o inciso II do art. 35 da Lei nº 9.250, de 26 de dezembro de 1995, incluindo na situação jurídica de dependente, para fins tributários, o companheiro homossexual do contribuinte do Imposto de Renda de Pessoa Física. Aguarda parecer da Comissão de Finanças e Tributação.
2285/07 Sérgio Barradas Carneiro (PT-BA) Cria o Estatuto da Família. Quanto à união homoafetiva, diz que em momento algum, a Constituição veda o relacionamento de pessoas do mesmo sexo. Aguarda parecer da Coordenação de Comissões Permanentes.
2383/03 Maninha (PT-DF) Estabelece que as operadoras de planos de saúde não poderão criar restrições à inscrição de pessoas como dependentes de outras em função de pertencerem ao mesmo sexo. Já aprovado em caráter conclusivo pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça. Houve recurso contra a apreciação conclusiva, mas a Mesa não decidiu.
1151/95 Marta Suplicy (PT-SP) Disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo e dá outras providências.

Pronto para ser votado pelo plenário.

Entre as propostas que restrigem direitos aos homossexuais, uma delas proíbe a adoção por pessoas do mesmo sexo e outra determina que a relação entre pessoas do mesmo sexo não pode, em hipótese alguma, ser comparada ao casamento.

Informações de portal G1

FOTOS: ilustrativa

Compartilhar

Votação do novo Código Florestal fica para a próxima terça-feira

Avançar »

Código Florestal: Após bate-boca e suspeita de fraude, votação é novamente adiada

Um comentário

  1. 11 de maio de 2011

    tantas pessoas e tantas coisas tem como prioridade em nosso pais e eles preocupados com união estavel de homosexuais,eu respeito a todos e tenho varios amigos mas não acho que seja uma prioridade no meio de tantas coisas acontecendo,e as vezes as pessoas não sabem expressar-se ,mas as vezes não é que as pessoas são contra ,é dificil vc ir ao um parque com seus filhos e ter casais do mesmo sexo se abraçando e coisa assim ,acho que eles tb tinham que respeitar o espaço de cada um querendo ou não é diferente,todas as coisas tem que ser em proll a todos comtando que exista um minimo de respeito na opinião de cada um !!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*