• Visualizações 1910

Vereadores são flagrados usando dinheiro público em passeios

ASSISTA À REPORTAGEM! Denúncia feita ao Fantástico, da Rede Globo, leva equipe a flagrar o uso de dinheiro público para temporadas em cidades turísticas.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O dinheiro público está bancando viagens a pontos turísticos não apenas para vereadores, como também para seus familiares.

Além de terem todas as despesas pagas durante os passeios, ainda é possível embolsar o que “sobra”. Segundo denúncia feita ao programa Fantástico, da Rede Globo, em todo o Brasil, existem empresas especializadas em cursos de qualificação para funcionários de prefeituras e câmaras municipais.

A reportagem do programa entrou em contato com um ex-assessor, que se inscreveu em alguns cursos para gravar os bastidores. Ele questiona a uma mulher, usando uma câmera escondida, se a Câmara paga a inscrição do curso. Inajara Costa, assessora do presidente da Câmara Municipal de Estância Velha, responde: “Tudo. Se for de avião, te dá a passagem de avião. O bom é que também sobra, sobra um dinheirinho”.

Ela também calcula o quanto vai lucrar com a participação num curso de cinco dias promovido pela empresa Gedam, em São Carlos, Santa Catarina. “Digamos que eu gaste, no máximo R$ 210, olha o que sobra”. “Te sobra R$1,8 mil”, diz o assessor. “E nós não precisamos apresentar nota, nem nada”, confirma Inajara.

A equipe de reportagem foi à Estância Velha conversar com Inajara. Ela negou que tenha lucro com as diárias. “Se tem alguma coisa gravada, está editado. Porque ele que estava dizendo e me perguntado coisas”, disse.

Certificados

Alunos que vão embora antes do término do curso ou nem aparecem na sala de aula são comuns, e todos recebem certificados de conclusão. Isso acontece porque a lista de presença, que serviria para controlar a freqüência, é preenchida de uma só vez, ou antes mesmo do curso começar.

A equipe de reportagem do Fantástico foi a Belo Horizonte, para um seminário promovido pelo Instituto Nacional Municipalista, o INM. A recepcionista pede para o produtor assinar a chamada no momento da inscrição: “Se quiser já rubricar tudo pra mim. Pode deixar tudo preenchido”, pede ela.

A orientação é a mesma no Recife, em outro seminário promovido pelo INM. Na chegada, o repórter Giovani Grizotti, inscrito como assessor parlamentar, é instruído a assinar presença pelos cinco dias de curso.

Com o registro antecipado das presenças, os participantes podem sair à vontade. Foi o que fez o vereador Geraldo Pereira, do PMDB de Tubarão, Santa Catarina. Ele aproveitou o curso no Recife para ir à praia.

“Eu não vou vir de lá pra vir aqui fazer um curso de vereador. Eu vim passear. Vou ali, dar uma chegada e cair fora”, afirma Geraldo, sem saber que está sendo filmado.

Confira a reportagem completa feita pelo Fantástico:

Dicas de passeios

O próprio dono do Instituto INM, Clésio Drummond, quem dá dicas de passeios turísticos aos vereadores. No caso, um conhecido ponto de prostituição da capital mineira.

“Um hotel igual a esse, igualzinho. Apartamento, tudo direitinho. Só que as mulheres ficam dentro dos apartamentos, de porta aberta. Deve ter umas 2 mil mulheres, de tudo quanto é tipo que você quiser: branca, preta, velha, roxa, nova, 80 anos, com dente, sem dente, de tudo quanto é jeito. Tem menina que você olha e fala assim: ‘Essa eu vou casar’, de tão linda”, diz Clésio.

Em Fortaleza, a equipe procurou Clésio Drummond, que dava palestras em mais um seminário. Ele se defendeu das acusações e afirmou que a freqüência dos alunos é controlada. “A cada dia que alguém chega, ele assina uma ficha na hora, e cada vez que ele entra e sai, ele assina a ficha”, afirmou.

Diplomas

Os cursos oferecem até diplomas frios. O documento é usado por quem quer justificar uma viagem que nunca fez e ainda embolsar diárias. Em Belo Horizonte, informamos que o aluno que queremos inscrever não irá ao curso. A recepcionista aceita a inscrição mesmo assim e ainda pede para o produtor preencher a ficha tendo o cuidado de não assinar as presenças.

“Isso aqui você deixa. Porque se algum dia for questionado, o Ministério Público pedir e tudo, aí a gente a manda a ficha pelo correio, ele assina, entendeu? Porque a rubrica, se você faz uma rubrica que, vai que bate, não é a dele, é mais complicado, entendeu? Mas isso é se algum dia!”, diz ela.

A equipe do Fantástico conseguiu comprar diplomas falsos de duas empresas que organizam cursos, a Lunar e o Sibram. Conseguiram um certificado em nome do vereador Antônio Ferreira Alves. Ocorre que desde 1995, o vereador está num cemitério da Grande Porto Alegre.

Em troca de R$ 350, Mabília Rhoden, responsável pelos cursos da empresa Lunar, entrega o diploma que encomendamos em nome do falecido. Quando procurada pela equipe, ela nega a venda. “Não tenho conhecimento disso”, diz Mabília.

Roque Santa Cruz, artilheiro da seleção paraguaia e jogador do Manchester City da Inglaterra, agora também é aluno do curso de elaboração e gestão de projetos, da Sibram, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Um diploma no nome do jogador (foto) foi comprado por R$ 300 de Ivo Rêrs, o dono da empresa.

Um dos “alunos” deste curso que não aconteceu é o presidente da Câmara de Triunfo, Fábio Wrasse, do PDT. Ele viajou acompanhado de assessores, mulher, sogra e filhos. Apenas as crianças não estavam inscritas no curso. Flagrada pela equipe do Fantástico, a sogra do presidente Fábio, Dalva Maria Ferreira, se confunde na hora de dar explicações.

Quando a equipe a questiona sobre ser sogra do vereador Fábio, Dalva Maria nega. O Fantástico insiste: “Mas a senhora não deveria estar no curso neste momento? A senhora poderia responder isso pra nós? Por favor, assessora”. Ela nega, também, ser assessora.

Já em Foz do Iguaçu, a equipe tenta falar com a mulher novamente. “Por favor, parou! Agora, parou, chegou”, ela reage. Quando o repórter lembra que Dalva Maria é uma funcionária administrativa, ela responde: “Eu sou funcionária administrativa e tenho o direito de fazer o que eu quiser”.

No ano passado, a Câmara da cidade de Triunfo gastou mais de R$ 1,1 milhão em diárias de viagem, segundo o tribunal de contas do estado; este seria o maior gasto deste tipo no Rio Grande do Sul.

Informações de Fantástico

FOTO: reprodução / Fantástico

Compartilhar

Debate entre os presidenciáveis repercute no Twitter

Avançar »

Eleições 2010: Para Lula, Dilma deve vencer no primeiro turno das eleições

3 comentários

  1. Juliana Vieira
    9 de agosto de 2010

    Quero parabenizar a equipe do Fantástico pela matéria em questão. Quem sabe a partir desta, a justiça torne mais ágil os processos que envolvem vereadores da cidade de São José da Lapa ( região metropolitana de Belo Horizonte MG)que participaram dos “cursos” oferecidos pelo Sr. Clésio. Até o momento, o Sr. Clésio e os seus “alunos” permanecem impunes. Inclusive alguns vereadores infelizmente, foram reeleitos. A impressão é que todos – população, justiça e os envolvidos – se esqueceram destes episódios que na época foram veiculados em rede nacional por esta emissora.

    Responder
  2. carlos
    4 de setembro de 2010

    pesso a todos que entrem no site

    http://www.tjmg.jus.br
    comarca 0290
    numero processo; 029007051548-8

    para acompanharem o andamento do processo dos vereadores de São José da Lapa-MG.

    Responder
  3. carlos
    9 de setembro de 2011

    GRAÇAS A DEUS A JUIZA DA COMARCA DE VESPASIANO-MG MARCOU PARA 21/09/2011 ADIENCIA PARA JUGAMENTO DOS VEREADORES DE SÃO JOSÉ DA LAPA E O CLESIO ESTE QUE ESTA NESTA REPORTAGEM DO FANTATISCO DIZENDO 2000 MULHERES BRANCA PRETA COM DENTE SEM DENTE, ELE TB VAI SER JULGADO

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*