• Visualizações 785

Bolshoi divulga mensagem sobre violinista que morreu ao cair do palco

Viktor Sedov, de 65 anos, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu. “Profundas condolências a família e amigos”, disse companhia russa.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O Teatro Bolshoi, que abriga a tradicional companhia de balé de Moscou, na Rússia, divulgou nesta quinta-feira, dia 18, uma nota de pesar sobre a morte do violinista Viktor Sedov.

Ele morreu após cair, durante um ensaio da orquestra, no fosso em frente ao palco, que tem seis metros de profundidade, na terça-feira, dia 17. Viktor chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimento e morreu na quarta-feira, dia 18.

Os investigadores suspeitam de acidente, mas não o caso ainda não foi esclarecido. A tragédia é somada aos últimos acontecimentos negativos envolvendo o Bolshoi nos últimos meses: o ataque com ácido ao diretor artístico, a recusa da principal bailarina de se apresentar e o afastamento do diretor geral do grupo.

O Bolsoi prestou condolências à família e amigos do músico, que tinha 65 anos, e exaltou a trajetória de Viktor Sedov, que trabalhou por 40 anos na companhia.

“O pessoal do Teatro Bolshoi presta suas mais profundas condolências à família e amigos do músico da orquestra Viktor Konstantinovich Sedov, que morreu tragicamente em 17 de julho”, disse a companhia em sua página oficial no Facebook sobre a morte do músico nascido em 8 de outubro de 1947.

Crise no Bolshoi

O diretor do balé Bolshoi, Anatoli Iksanov, foi demitido, anunciou no dia 09 de julho o ministro da Cultura da Rússia, Vladimir Medinski, depois de vários meses de escândalos no teatro mais prestigioso do país.

O Bolshoi será comandado por Vladimir Urin, que era diretor do teatro moscovita Stanislavski e Nemirovich-Danchenko. Iksanov, que dirigia o Bolshoi desde 2000, tinha contrato até outubro de 2014.

O ministro destacou que a decisão foi tomada pela ‘complicada situação’ no teatro desde que o diretor artístico Serguei Filin foi atacado com ácido em janeiro.

Agredido em 17 de janeiro por um homem que jogou ácido em seu rosto na porta do edifício em que mora em Moscou, Filin sofreu queimaduras graves no rosto e nos olhos. Filin recebeu enxerto de pele e passou por várias cirurgias nos olhos na Rússia. Atualmente passa por tratamento na Alemanha, mas ainda não conseguiu recuperar a vista.

A agressão provocou um escândalo sem precedentes que revelou os conflitos internos na instituição de renome internacional. Em junho, o Bolshoi anunciou a saída do bailarino Nikolai Tsiskaridze, uma de suas estrelas, em conflito aberto com Ikasanov e rival de Filin.

Informações de Portal G1

FOTO: reprodução / Facebook Teatro Bolshoi

Compartilhar

Papa usará viagem ao Brasil para expor “plano de governo”

Avançar »

No Twitter, Papa Francisco “conta os dias” para o início da JMJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*