• Visualizações 522

Brasileiro condenado à morte pede que presidente Dilma Rousseff tente salvá-lo

Preso em 2003 ao tentar entrar na Indonésia com 13,4 kg de cocaína, Marco Archer Cardoso Moreira foi condenado à morte em 2004, e já perdeu todos os recursos na Justiça. 

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Com a ameaça de ser fuzilado na Indonésia em breve, o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, 50 anos, diz ter esperança de que a presidente Dilma Rousseff consiga evitar a sua morte.

“A única pessoa que pode me salvar é ela.” A presidente Dilma. Peço para ela ao menos tentar me ajudar. De presidente para presidente, talvez ela resolva. Quem sabe ela resolve e consegue abaixar a minha pena para prisão perpétua. Eu peço ajuda também ao presidente da Indonésia, Susilo, ele é muito poderoso”. Disse Archer em uma entrevista por telefone à Folha de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, dia 25.

Preso em 2003 ao tentar entrar na Indonésia com 13,4 kg de cocaína, Archer foi condenado à morte em 2004, e já perdeu todos os recursos na Justiça. Ele está na prisão de segurança máxima de Pasir Putih, a 430 km de Jacarta.

Na semana passada, um procurador disse ao “The Jakarta Post” que ele será executado nas próximas semanas, o que sinaliza que o presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, rejeitou o pedido de perdão, sua última chance de escapar.

O brasileiro disse não ter medo, mas espera que a situação seja revertida. Enquanto não há definição sobre seu caso, o cenário que lhe soa mais positivo é continuar preso a 15,4 mil km de casa, como está há oito anos, sem perspectiva de voltar ao Brasil, ou então encarar a morte.

Informações de Folha de São Paulo

FOTO: reprodução / AFP

Compartilhar

Após impeachment, Fernando Lugo instaura governo paralelo no Paraguai

Avançar »

Em decisão Suprema Corte dos Estados Unidos aprova reforma da saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*