• Visualizações 656

Terrorismo e operação da Otan matam pelo menos 40 pessoas no Afeganistão

Incidente de maior gravidade dos últimos anos, ocorreu nos arredores da cidade de Kandahar, onde explosivos foram detonados num mercado próximo ao aeroporto.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Nesta quarta-feira, dia 06, pelo menos 40 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em dois ataques suicidas e em uma operação da Otan, no Afeganistão.

O incidente de maior gravidade dos últimos anos, ocorreu por volta das 11horas (3h30min de Brasília) nos arredores da cidade de Kandahar, onde insurgentes detonaram explosivos num mercado próximo ao aeroporto, informaram fontes oficiais.

Um terrorista detonou bombas que carregava numa motocicleta e quando as pessoas se aproximaram para ver que tinha ocorrido, outro suicida provocou uma segunda explosão, explicou à Agência Efe o governador provincial, Toryalai Wisa. O governador informou que 22 civis morreram e 50 pessoas ficaram feridas.

O Taleban reivindicou a autoria do atentado e um de seus representantes assegurou à Efe que na ação morreram 17 soldados da missão da Otan no Afeganistão – Isaf. A Aliança Atlântica desmentiu a informação. Horas antes do ataque em Kandahar, outros 18 civis, incluídos mulheres e crianças, morreram numa operação conjunta de tropas afegãs e da Otan na província de Logar.

O chefe da polícia provincial, Ghulam Sakhi Rogh Liwanai, disse à Efe que as vítimas moravam numa casa da cidade de Sajawand que foi atacada de madrugada por forças aliadas sob a suspeita de que servia de refúgio de um dirigente talibã identificado como Qari Sardar. De acordo com a fonte, a Isaf empregou força aérea na operação armada, na qual morreram além disso doze insurgentes e ficaram feridos três soldados do contingente internacional.

Na guerra do Afeganistão, que já dura mais de uma década, desde a invasão dos EUA no final de 2001, os civis ficaram muito vulneráveis às ações de ambos os lados. O número de civis mortos em 2011 (3.021) foi o mais elevado desde que há cinco anos a missão da ONU no Afeganistão – Unama começou a registrar este tipo de dado.

Apesar disso, a Unama informou recentemente que o número de vítimas civis no conflito diminuiu 21% no primeiro quadrimestre de 2012 em relação ao mesmo período do ano anterior. O organismo atribuiu 79% das vítimas às ações perpetradas pelos grupos insurgentes e 12% às forças de segurança afegãs e internacionais.

Informações de Estadão

FOTO: reprodução / AFP

Compartilhar

Show do jubileu da rainha Elizabeth II reúne 250 mil espectadores em Londres

Avançar »

Síria corre risco iminente de guerra civil, afirma secretário-geral da ONU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*