Barack Obama e George Bush se reúnem em homenagem às vítimas do 11 de Setembro

Momentos de silêncio, apresentações musicais e discursos do presidente e de seu antecessor marcaram dia em Nova York.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

As homenagens aos quase três mil mortos nos atentados de 11 de setembro de 2011 uniram o presidente dos Estados Unidos Barack Obama e seu antecessor George W. Bush durante cerimônia realizada neste domingo, 11.

Leia Mais

11 de setembro: O mundo 10 anos depois

No aniversário de dez anos dos ataques, estadunidenses se reuniram no chamado Marco Zero, onde ficavam as torres gêmeas, em Nova York. Atualmente, é lá que se encontra um memorial, aberto ao público nesta segunda-feira, 12. Fontes com cascatas internas têm gravados os nomes das vítimas.

Ao chegar, Obama e Bush, acompanhados de suas esposas, se detiveram diante das fontes construídas no local. Depois dirigiram-se às famílias das vítimas e as autoridades locais, entre elas o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, para saudá-los pessoalmente.

Foram feitos seis momentos de silêncio, que marcaram os choques dos aviões e as quedas de cada torre. Os nomes dos mortos nos atentados foram lidos, um a um, por familiares. Ao longo da cerimônia, apresentações musicais intercalaram o silêncio e a leitura de nomes de vítimas. O violoncelista Yo-Yo Ma foi o primeiro a se apresentar. Em seguida, James Taylor e Paul Simon cantaram.

Em seu discurso, Obama citou a religião ao relembrar os ataques. “Deus é nosso refúgio e nossa força, uma ajuda muito presente nas dificuldades”, disse o presidente, durante uma breve introdução, citando um salmo. Além dele, Bush fez um breve discurso.

Mortos no Pentágono e na cidade de

Shanksville também foram lembrados

Centenas de pessoas, lideradas pelo vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o secretário de Defesa, Leon Panetta, fizeram neste domingo um minuto de silêncio no Pentágono em homenagem aos mortos naquele local nos atentados de 11 de setembro de 2001. Ao todo, 184 pessoas morreram quando o voo AA77, o terceiro sequestrado pelos terroristas da al-Qaeda, colidiu contra um dos setores do prédio do Departamento de Defesa.

Houve também reunião em Shanksville, no estado americano da Pensilvânia, neste domingo, para prestar um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do voo 93 da companhia United Airlines, que foi sequestrado por membros da rede al-Qaeda e caiu na cidade no dia 11 de setembro de 2001, matando todas as 44 pessoas a bordo.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, depositou flores no local onde aconteceu a queda do avião, em Shanksville. O voo 93 foi o único que não chegou ao destino traçado pelos terroristas – neste caso o Capitólio, em Washington.

Informações de portal G1

FOTO: Don Emmert / AFP

Compartilhar

Interpol emite alerta vermelho para capturar o fugitivo Khadafi

Avançar »

Embaixada dos Estados Unidos e prédio da Otan são atacados por Talibã no Afeganistão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*