• Visualizações 511

Brasileira permanece em Israel enquanto outros ativistas são deportados

Iara Lee estava em um dos barcos atacados por Israel e está aguardando vôo que a levaria para a Turquia, de onde ela deveria retornar aos Estados Unidos.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O governo de Israel começou a deportar ativistas detidos durante uma operação militar contra uma frota que levava ajuda à Faixa de Gaza.

Leia Mais

Israel ataca navios de ajuda humanitária

De acordo com o Itamaraty, a cineasta brasileira Iara Lee, que estava em um dos barcos no momento da ação, permanece no país, onde aguarda um vôo para levá-la à Turquia.

Iara Lee será recebida pelo cônsul brasileiro em Istambul, Michel Francis de Maya Monteiro Gepp. A expectativa é que, de lá, ela retorne para os Estados Unidos – onde vive –, e não para o Brasil.

De acordo com a BBC Brasil, 123 ativistas de 13 países (entre eles, Turquia, Malásia, Indonésia, Barein, Kuwait e Paquistão) foram levados de ônibus para a Jordânia, onde uma multidão de simpatizantes os aguardava.

Mais 50 ativistas turcos foram libertados da prisão e também serão deportados, informaram as autoridades oficiais.

Ao todo, 670 pessoas foram presas na operação militar. O ataque das forças israelenses matou nove ativistas e provocou reações negativas de boa parte da comunidade internacional.

Informações de Agência Brasil

FOTO: reprodução / CulturesOfResistance

Compartilhar

Familiares de vítimas do AF 447 da Air France criticam investigação

Avançar »

Copos vendidos nos McDonald’s americanos contém metal cancerígeno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*