BR 116: Liberação do viaduto da Unisinos fica para janeiro

Trânsito seria liberado nesta terça no acesso à universidade, quilômetro 250 da rodovia. Esse já é o terceiro adiamento. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Ficou para a metade de janeiro a liberação do trânsito no viaduto de acesso à Unisinos, no quilometro 250 da BR 116, em São Leopoldo. A obra ainda não tem condições de receber o tráfego, o que deveria ter ocorrido nesta terça-feira, dia 20.

Leia Mais

Viaduto da Unisinos fica pronto em dezembro, promete Dnit

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a causa do atraso seria o pedido de demissão de 10 funcionários da Construtora Cidade e as férias de outros 18. O supervisor regional do órgão, Carlos Adalberto Pitta, diz que 95% dos trabalhos estão concluídos.

Este é o terceiro adiamento anunciado pelo Dnit no segundo semestre. A previsão inicial era de que a liberação ocorresse em setembro, mas a instabilidade do clima durante o inverno mudou os planos. A nova data era 13 de dezembro. Depois, mudou para o dia 20 e agora ficará para o ano que vem. O contrato com a Construtora Cidade foi prorrogado até março.

Luis Fernando de Oliveira, engenheiro da empresa, diz ao Portal novohamburgo.org que neste momento os esforços concentram-se no trabalho de acabamento e na finalização dos guarda-rodas, barreiras de proteção que cercam todo o viaduto.

A conclusão da obra promete facilitar o trajeto para os motoristas que se deslocam entre O Vale do Sinos e Porto Alegre pela BR 116. Com o desligamento da sinaleira que hoje funciona no local, o trânsito deve ficar liberado. Atualmente, quem deixa a Unisinos em direção à Capital tem que fazer o retorno no viaduto da avenida João Corrêa, o que aumenta o percurso em quatro quilômetros. A ordem de serviço para o início dos trabalhos foi assinada pelo Dnit em 2009.

FOTOS: Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

Rio dos Sinos: nível da água sobe, mas calor é sinal de alerta

Avançar »

Rio dos Sinos: Qualidade da água captada preocupa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*