Nível do Rio dos Sinos preocupa Defesa Civil, que começa a alertar famílias ribeirinhas

Medo de inundações de quem vive às margens do rio continua mesmo após registro de baixa de três centímetros no nível, porque há previsão de chuva para esta quarta-feira.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O nível do Rio dos Sinos preocupa a Defesa Civil do Rio Grande do Sul. Novo Hamburgo e São Leopoldo são os municípios mais ameaçados pela cheia: o nível do rio, que costuma oscilar entre 3,80m e 4m, chegou a 6,56m na segunda-feira, dia 18.

Segundo o sargento Valdemir Barcellos, do Conselho Nacional de Defesa Civil no Rio Grande do Sul, se o nível chegar a 6,80m, pode ser preciso remover moradores de áreas próximas.

A medição feita nesta terça-feira, 19, apontou baixa de três centímetros no nível. A preocupação, no entanto, continua, porque há previsão de mais chuva para quarta-feira, com acumulados que podem variar entre 80mm e 100mm na metade Norte, conforme previsão da Somar meteorologia.

O coordenador da Defesa Civil de São Leopoldo, Silomar Gomes, afirma que cerca de 100 famílias que moram às margens do Rio dos Sinos estão sendo avisadas sobre a possibilidade de a água entrar nas casas até a noite desta terça-feira. Os primeiros bairros atingidos devem ser o São Geraldo e o Vicentina, conforme Gomes. Além destes, as ruas das Camélias e da Praia.

Municípios atingem – e até

ultrapassam – média de julho

Com dois grandes episódios de chuva em sete dias em diferentes regiões do Rio Grande do Sul (primeiro entre quinta e sexta-feira, e depois no domingo), o volume da precipitação acumulado no mês supera a média em grande parte do estado. Em Passo Fundo, no Norte, onde foram registrados oito dias de chuva em julho até agora, o acumulado de 184,6mm é 20% acima da média esperada para o mês, conforme dados da estação do Instituto Nacional de Meteorologia – Inmet.

Em Torres, no Litoral Norte, o acumulado (121mm) também já é 20% superior à média e Frederico Westphalen tem um acumulado de 152mm, 10mm acima do normal para todo o mês de julho. O município de Santo Augusto já alcançou a média, com 133mm. Porto Alegre e Tramandaí registram 85% da média do mês com 103mm e 110mm de precipitação acumulada, respectivamente.

Informações de ZeroHora.com

FOTO: divulgação / Laís Alves

Compartilhar

Advogado destaca direitos de consumidores que ficaram sem água em São Leopoldo

Avançar »

São Leopoldo Fest 2011: NX Zero é a atração principal do fim de semana

Um comentário

  1. Manoel Lenar Nunes
    24 de julho de 2011

    O Que deveria ser feito para que toda essa àgua não inundasse mais a cidade de São Leopoldo e Região quando chovesse da forma que choveu? BairSão Miguel

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*