Inter dá pane no Beira-Rio e zebra amarela e preta entra em campo

Peñarol vence por 2 a 1 em Porto Alegre, de virada, e frustra sonho colorado de chegar ao tricampeonato da América em 2011.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Deu pane no Beira-Rio. O Inter está eliminado da Libertadores 2011.

Isso mesmo. O Peñarol venceu o Inter por 2 a 1, de virada, eliminou o Colorado e mostrou para Falcão que Barcelona é só o da Espanha. Pelo menos por enquanto, o técnico ainda conseguiu fazer seu time jogar parecido com os espanhóis.

O fracasso foi a noite desta quarta-feira, dia 04, no estádio Beira-Rio. Agora, o Peñarol aguarda o vencedor de Grêmio e Universidad Católica, que jogam no Chile. Ao Inter, resta o Campeonato Gaúcho, que será decidido em dois Gre-Nais. O primeiro neste domingo, 08, às 16h, no estádio Beira-Rio e o segundo no outro domingo, 15, às 16h, no estádio Olímpico.

Inter X Peñarol iniciou às 19h35min. Neste momento ainda tinha colorado entrando no estádio e outros nos engarrafamentos das imediações do Beira-Rio, mas Oscar não quis saber e às 19h36min já fazia 1 a 0 para o Inter.

Isso mesmo, tinha só um minuto o jogo no Beira-Rio quando Oscar tabelou com Leandro Damião, avançou com a bola e mandou o chute no canto esquerdo do goleiro Sosa.

Com o gol sofrido, o Peñarol precisava fazer dois para se classificar ou um para levar para os pênaltis. Os uruguaios iniciaram a busca e aos 15 minutos, Freitas subiu livre na primeira trave e cabeceou na diagonal em direção do gol de Renan, mas a bola saiu para linha de fundo.

Atuando com o antigo esquema de Celso Roth, o 4-5-1, o Inter controlava a bola, trocava passes laterais e igualmente na época de Roth, não criava oportunidades de gol.

O Inter levou perigo somente no final do primeiro tempo, quando o lateral esquerdo Kleber invadiu a área, recebeu de Damião e chutou para fora.

Na volta para o segundo tempo, os jogadores do Inter revelaram que Falcão corrigiu alguns defeitos e pediu a mesma postura. Só que o técnico Falcão esqueceu de combinar com o Peñarol para que os uruguaios também mantivessem a mesma postura.

Sem o acerto, o Peñarol saiu com a bola, aproveitou uma pane colorada e empatou o jogo, sem o Inter tocar na redonda. Martinuccio passou no meio de três e acertou no ângulo esquerdo de Renan, que nem se mexeu.

O gol Peñarol abateu o Inter e os uruguaios aproveitaram para fazer o segundo. Aos 5 minutos, Aguiar passou com tranqüilidade por Bolatti e Nei, cruzou da esquerda na cabeça do centroavante Olivera, que erradamente marcado por Kleber, cabeceou no ângulo direito de Renan, que desta vez voou, mas não alcançou.

A virada uruguaia fez Falcão modificar jogadores, mas não a forma de jogar. Colocou Ricardo Goulart, estreante na Libertadores, e Tinga nos lugares de Andrezinho e Oscar.

Como as mudanças não surtiram efeito, o ex-comentarista mexeu novamente, e desta vez colocou o atacante Rafael Sobis na vaga do lateral direito Nei.

Com dois atacantes e com o Peñarol todo recuado, o Inter criou algumas chances. D’Alessandro fez grande jogada pela direita, dentro da área, e rolou para Bolatti, que chutou. A bola só não entrou porque a zaga uruguaia salvou quase em cima da linha. Em outra oportunidade, Rafael Sobis arriscou de longe, mas Sosa pegou. E antes de terminar o sofrimento dos colorados, Tinga perdeu gol feito e Rodrigo acertou a trave.

Fim de jogo, fim do sonho do Tri Colorado e inicio de sofrimento para o técnico Falcão.

FOTO: reprodução / GloboEsporte.com

Compartilhar

Curiosidades de Gre-Nal: Clássico não era decidido nos pênaltis desde 1992

Avançar »

Enquete: Colorados confiam mais em Falcão do que gremistas em Renato

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*