• Visualizações 872

Com o lema “Ler é Poder”, feira do livro começa em Porto Alegre

Até dia 17 de novembro, a Praça da Alfândega será iluminada por essa rotina prazerosa da relação dos leitores com os livros e também com os autores.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A 59ª Feira do Livro de Porto Alegre será aberta oficialmente às 19 horas desta sexta-feira na Praça de Autógrafos. Desde às 9 horas já há atividades, mas as 140 bancas de expositores serão abertas às 13 horas.

Até o dia 17 de novembro, a Praça da Alfândega será iluminada por essa rotina prazerosa da relação dos leitores com os livros e também com os autores.

A feira cujo lema será “Ler é Poder” terá um patrono representante da docência, da crítica e do ensaio, o professor Luís Augusto Fischer. Por outro lado, o início da Feira será um pouco mais triste, sem o som da sineta de Julio La Porta, o xerife, que morreu na semana passada, aos 80 anos.

O poder estará nas mãos dos apaixonados por temas como literatura de suspense e terror, quadrinhos, cinema, biblioteconomia, história, política, entre outros. Neste ano, conforme a coordenadora da programação adulta, Jussara Rodrigues, serão mais de 700 sessões de autógrafos, 156 eventos em salas (mesas-redondas, palestras, seminários), 31 oficinas ligadas ao livro e à criação literária, 31 eventos artísticos e culturais, a presença da literatura internacional e uma área dedicada a crianças e jovens com 293 atividades.

A Alemanha será o país homenageado na Feira. Uma série de atividades, em parceria com o Goethe-Institut, além da presença de autores como Ingo Schulze, Robert Löhr, Jasmin Ramadan e Birgit Weyhe.

Entre os autores internacionais presentes, Jussara destaca Shani Boianjiu (Israel), Francisco José Viegas (Portugal), Guadalupe Nettel (México), Alexis Aubenque (França); Gustavo Nielsen e Federico Andahazi (Argentina), Pepetela e Ondjaki (Angola) e Sean Branney (Estados Unidos). Ela frisa também as homenagens ao cronista Rubem Braga (100 anos de nascimento); Millôr Fernandes e Stanislaw Ponte Preta (90 anos).

Informações de CP

FOTO: reprodução / Mauro Schaefer / CP

Compartilhar

Na Capital, cinco das obras de mobilidade para a Copa de 2014 podem ficar para 2015

Avançar »

Salva-vidas já atuam no balneário Cassino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*