Grupos prometem novos protestos contra derrubada de árvores no Gasômetro

Justiça liberou retirada da vegetação para obras da Copa na Edvaldo Pereira Paiva. Para a presidente do movimento Viva o Gasômetro, que defende a construção do Parque Gasômetro, a decisão não irá atingir a vegetação do futuro parque.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Integrantes de movimentos sociais e ambientais que se reuniram em frente ao prédio do Tribunal de Justiça, nesta quinta-feira, para acompanhar a votação que liberou a retirada de árvores no Gasômetro prometeram novas mobilizações contra a derrubada. Segundo a integrante do Movimento Quantas Copas por uma Copa, Inês Chagas, o grupo irá fazer novos protestos contra a decisão.

Para a presidente do movimento Viva o Gasômetro, que defende a construção do Parque Gasômetro, a decisão não irá atingir a vegetação do futuro parque. “Elas serão preservadas, apenas o restante das árvores, que estão ao lado da Câmara de Vereadores, foi liberado”, declarou. A estimativa é de que pelo menos oito serão preservadas. Na próxima segunda-feira, às 14h, o grupo irá ocupar o espaço Tribuna Popular da Câmara para discutir o assunto.

A justiça autorizou, nesta quinta-feira, dia 16, o corte para a duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira Rio, com vistas a Copa de 2014. A decisão foi aprovada por unanimidade na 22° Câmara Cível do Tribunal de Justiça. Segundo o relator do recurso, desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, a obra faz parte de um todo maior, conforme relatório técnico elaborado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente – Smam.

O desembargador explicou que, assim como as árvores foram plantadas pelo homem, podem ser suprimidas permitindo o desenvolvimento da cidade. “A cidade necessita do aumento da via em questão para possibilitar o trânsito no local e em todo o município, concedendo maior qualidade de vida aos cidadãos”, destacou.

Exóticas e invasoras, extremamente comuns

Citou também que, das 115 árvores a serem suprimidas, 73% são de espécie exóticas e invasoras, extremamente comuns, não sendo raras ou ameaçadas de extinção. Além disso, duas árvores, Figueira e Jerivá, serão transplantadas para o Parque da Harmonia, mediante o plantio de 401 árvores.

Em abril, o desembargador havia suspendido a liminar que permitia o corte de árvores, já que a área integra a obra de implantação do Corredor Parque do Gasômetro, previsto no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (PDDUA).

Porém, o Ministério Público (MP) sustenta em ação civil pública que tramita na 10ª Vara da Fazenda Pública do Foro da Tristeza, que o processo de licenciamento ambiental da duplicação da avenida ignora a presença do Corredor Parque do Gasômetro previsto no Plano. Segundo a prefeitura, os trabalhos deverão ser retomados em breve. A obra inclui o trecho entre a Usina do Gasômetro e a Rotula das Cuias, uma extensão de 5,8 quilômetros, e prevê a remoção de 115 árvores. Deste total, 14 foram retiradas em fevereiro.

Informações de Correio do Povo

FOTO: reprodução / Correio do Povo

Compartilhar

Grande Porto Alegre tem o maior índice de celulares por cem habitantes

Avançar »

Vítima do incêndio da boate Kiss morre após ficar 112 dias internada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*