Marido de agressora de poodle nega maus tratos aos filhos

Mulher foi flagrada agredindo filhote de cachorro em Porto Alegre.Ocasal tem um filho de três anos e uma menina de dois meses.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A mulher flagrada agredindo um filhote de cachorro em um condomínio em Porto Alegre prestou depoimento à polícia nesta terça-feira, dia 14. Acompanhada da família – os dois filhos e o marido – ela esteve na sede da Delegacia de Polícia para Crianças e Adolescentes – Deca pela manhã.

“Em momento algum havia agressão aos meus filhos. Foi uma crise nervosa que ela teve aquele dia”, disse o marido, de 46 anos. O casal tem um filho de três anos e uma menina de dois meses.

O vídeo publicado na internet na última sexta-feira ganhou grande repercussão nas redes sociais. A mulher de 38 anos aparece chutando o poodle e incentivando que o filho de três anos faça o mesmo. No sábado, a Polícia Civil recebeu queixas de vizinhos da família que disseram que as crianças também seriam agredidas com empurrões, beliscões e constrangimentos.

Sobre as denúncias, o marido disse que a mulher costuma falar muito alto em função de um problema auditivo – o que poderia provocar interpretações erradas. “A minha esposa é surda de um ouvido, quase 100%. Ela fala alto. O menino tá numa idade em que é teimoso, às vezes ele não quer comer toda a comida, ele não quer lavar as mãos. E é aquilo: só se ouve no momento em que ela fala alto. Quando ela tá fazendo carinho nas crianças, isso não é ouvido”, disse o homem.

O homem garantiu que a mulher não é usuária de drogas e que está sem fumar maconha há dois anos. Um exame toxicológico foi pedido para comprovar a versão. O Conselho Tutelar já foi informado a respeito do caso e vai passar a acompanhar de perto a vida e a rotina da família, que passará a ter assistência psicossocial.

Informações de Correio do Povo

FOTO: reprodução / Correio do Povo

Compartilhar

Segundo Ministério Público, leite gaúcho é fraudado desde 2009

Avançar »

Número de acidentes com morte no RS cai 7,44%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*