Rodovia do Parque na Região Metropolitana está 75% concluída

Conforme engenheiro-coordenador, há chances do trabalho ser finalizado no final de 2013. Último e mais atrasado dos três lotes, recebeu um reforço em mão de obra recentemente.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Com perspectiva de conclusão para o fim deste ano, as obras da Rodovia do Parque (BR-448) chegaram a 75% dos serviços executados. O último e mais atrasado dos três lotes, que dá acesso a Canoas e Porto Alegre, recebeu um reforço em mão de obra recentemente e se aproximou dos demais.

Das principais etapas da construção, a terraplenagem é a que está mais próxima do fim, faltando menos de 10%. Obras de arte especiais, como se chamam viadutos e pontes e que constituem a parte mais difícil do trabalho, estão em 76,87% e drenagem em 67,19%. A pavimentação é a mais distante, já que atingiu apenas 18,89% do previsto. O engenheiro-coordenador das obras da rodovia, Luiz Antônio Didoné, afirma não haver empecilhos que façam com que a entrega da rodovia ultrapasse o início de 2014.

“Todas (as obras) estão em ritmo normal. A ponte estaiada é a mais complicada em termos de estrutura. Tem de estaiar parte por parte, tem de ser os dois lados iguais, não pode desequilibrar. Esse é um trabalho um pouco mais delicado, que exige muita técnica. Então, não dá para atropelar, tem um ritmo”, afirma Didoné, referindo-se a ponte sobre o Rio Gravataí, que deve ser a maior obra da Rodovia do Parque.

Atualmente, cerca de 2,7 mil funcionários — 1,8 mil diretos e 900 indiretos — trabalham ao longo dos três trechos. O mais adiantado é o Lote 2, com 77% das obras concluídas, mas que ainda necessita terraplanagem, obras de arte e pavimentação, assim como o 1. A previsão de investimento em toda a rodovia é de R$ 1.004.400.000.

Considerado um dos mais importantes projetos de infraestrutura rodoviária da Região Sul, a estrada será uma alternativa à congestionada BR-116, da qual corre paralela (entre Sapucaia do Sul e Porto Alegre) e deve absorver cerca de 40% do fluxo. A estrada terá trechos com duas faixas em cada pista e alguns pontos com três faixas, estudos do Dnit estimam que cerca de 37,5 mil veículos trafegarão por ela diariamente.

No mês passado, em visita ao Rio Grande do Sul, a presidente Dilma Rousseff anunciou o prolongamento da rodovia em 32 quilômetros, de Sapucaia do Sul a Estância Velha, cujo investimento deve chegar a R$ 530 milhões. A previsão é de que o edital para obra seja lançado em junho de 2014.

Confira o andamento de cada lote

Lote 1

Situado entre o Km 0 (Sapucaia do Sul) e o Km 9,1 (na BR-386, em Canoas), com duas pistas de duas faixas cada, possibilitará acesso a Esteio

Extensão: 9,1 km
Consórcio: Sultepa Construções e Comércio Ltda e Toniolo Busnello S/A
Obras concluídas: 75%
Situação: falta terraplenagem, obras de arte e pavimentação

Lote 2

Situado entre o Km 9,1 e o Km 14,4, com duas pistas de três faixas cada, possibilitará acesso a Canoas

Extensão: 5,3 km
Consórcio: Construcap e Ferreira Guedes
Obras concluídas: 77%
Situação: falta terraplenagem, obras de arte e pavimentação

Lote 3

Situado entre o Km 14,4 e o Km 22,3, com duas pistas de três faixas cada, dará acesso à zona industrial portuária de Canoas e a Porto Alegre

Extensão: 7,9 Km
Consórcio: Queiroz Galvão, OAS, Brasília/Guaíba
Obras concluídas: 74%
Situação: no último levantamento, o trecho estava 60% concluído, enquanto os outros dois alcançavam 70%. Os trabalhos foram intensificados junto às áreas liberadas na região do dique. É neste lote que se encontram as duas obras com maior destaque em execução: a ponte estaiada sobre o Rio Gravataí, que terá pilares de 65 metros de altura, e a elevada que dá acesso a ela.

Informações de Zero Hora

FOTO: reprodução / Zero Hora

Compartilhar

Idosa de 73 morre após ser atropelada em São Leopoldo

Avançar »

Segundo Ministério Público, leite gaúcho é fraudado desde 2009

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*