Protesto acaba em confronto com a polícia e ataque a mascote da Copa em Porto Alegre

Manifestantes estavam reunidos na praça Montevidéu, para um ato denominado “Defesa Pública da Alegria”. Organizado via rede social, o movimento critica a privatização de locais públicos e o governo do prefeito José Fortunati.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Manifestantes atacaram o boneco inflável do mascote da Copa do Mundo de 2014 que está no Largo Glênio Peres, no centro de Porto Alegre, na noite de quinta-feira, dia 04.

Por volta das 23h20min, cerca de cem pessoas derrubaram as grades de proteção em torno do Tatu-Bola e colocaram no chão o símbolo do Mundial do Brasil. O grupo entrou em confronto com policiais militares do Pelotão de Operações Especiais – POE do 9º Batalhão de Polícia Militar.

Os PMs usaram cassetetes, bombas de efeito moral e balas de borracha para pôr fim ao protesto. Pelo menos 20 viaturas da Brigada Militar e cerca de 80 PMs foram mobilizados para conter os manifestantes. O confronto durou cerca de 20 minutos.

Ao menos seis pessoas foram presas por delitos como lesão corporal, danos ao patrimônio público e vandalismo. No tumulto, seis policiais ficaram feridos. De acordo com o comandante do POE do 9º Batalhão de Polícia Militar, tenente Jorge Luiz Santos Vargas, um dos policiais que estava com capacete levou oito pontos em corte na cabeça e outro teve o braço quebrado.

Alguns manifestantes também ficaram feridos. Apesar de ter se identificado, o repórter fotográfico da Zero Hora, Bruno Alencastro foi agredido no ombro por um policial e teve um filtro da câmera quebrado.

Os manifestantes integravam um grupo que estava reunido na praça Montevidéu, em frente à prefeitura, para um ato denominado “Defesa Pública da Alegria”. Organizado via rede social, o movimento critica a privatização de locais públicos e o governo do prefeito José Fortunati.

Na confusão, o para-brisa de uma viatura da BM foi quebrado. O capitão relatou que alguns manifestantes apresentavam sinais de embriaguez. Pessoas que participaram do ato reclamaram da ação ostensiva da Brigada para reprimir o protesto.

Informações de Zero Hora

FOTO: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Compartilhar

Bancários se reúnem e decidem manter greve no Banrisul

Avançar »

Quase 300 pessoas são presas por crimes eleitorais no RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*