Aumenta o número de famílias do Rio Grande do Sul sem condições de pagar dívidas atrasadas em 30 dias

Principais tipos de dívida atualmente são: cartão de crédito, carnês e crédito pessoal. A participação do cheque especial caiu de 34,6% em maio para 14,9% em junho.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O número de famílias do Estado que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso dentro de 30 dias quase dobrou de maio para junho, passando de 6,5% para 11,3%.

A constatação é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência das Famílias Gaúchas – PEIC-RS, que foi divulgada nesta terça-feira, dia 03, pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado – Fecomércio-RS.

A intensa variação registrada pelo indicador no período, conforme a análise “requer cautela na avaliação de uma possível deterioração do cenário de endividamento”.

O número de famílias gaúchas que afirmam ter algum tipo de dívida foi de 64,7% da população. O resultado é menor do que o registro feito em junho de 2011, quando alcançou 75,4%.

“Mesmo com as taxas de juros em nível inferior ao de 2011 e com outras medidas de estímulo por parte do governo, como a redução do IPI de eletrodomésticos e veículos, o ritmo mais lento da atividade econômica contribui para que o endividamento esteja abaixo do nível do ano passado”, afirma, em comunicado, o presidente do Sistema Fecomércio-RS, Zildo De Marchi.

Os principais tipos de dívida atualmente são: cartão de crédito (66,8%), carnês (26,5%) e crédito pessoal (22,6%). A participação do cheque especial caiu de 34,6% em maio para 14,9% em junho.

Informações de Zero Hora

FOTO: ilustrativa / acritica

Compartilhar

Mesmo com uma frente fria se aproximando, algumas regiões do Estado registram dia de extremo calor

Avançar »

Ocupação em voos internacionais cresce no aeroporto Salgado Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*