Chuva que causou inundações e deslizamentos deve, enfim, deixar o Rio Grande do Sul

Sexta-feira deve ser fria e seca, mas risco de deslizamentos segue; chuva fraca é suficiente para manter solo encharcado. Defesa Civil está em alerta em todo o Estado.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Quem está tendo dificuldades com as chuvas, que atingem especialmente e metade Norte do Rio Grande do Sul, pode comemorar: a instabilidade deve deixar o estado nesta quinta-feira, conforme previsão da Somar Meteorologia.

A chuva vem provocando deslizamentos e inundações em diversas cidades. Em Santo Augusto, no Noroeste, por exemplo, o volume de quase 200mm acumulado desde quarta-feira, 20, já é 50% maior que a média histórica do mês, segundo a estação do Instituto Nacional de Meteorologia – Inmet. Isso equivale a 45 dias de chuva.

Considerando os demais dias de precipitação ocorridos neste mês de julho, o acumulado no município já representa duas vezes e meia a chuva total esperada para o mês. Os acumulados passam de 150mm em Palmeira das Missões, também no Noroeste (160mm segundo o Inmet), Passo Fundo, no Norte, e Gramado, na Serra (175mm e 159mm, respectivamente, conforme a estação da RBS).

Na quarta-feira houve queda de barreira na BR 116, em Nova Petrópolis, e oito famílias precisaram ser removidas de suas casas em Gramado, após um deslizamento de terra. A chuva também causa transtornos em cidades do Vale do Paranhana e Vale do Caí. A situação mais grave ocorre na cidade de Igrejinha, onde o Corpo de Bombeiros atua na remoção de famílias prejudicadas pelo aumento do nível das águas do Rio Paranhana.

Risco continua para quem

sofre com deslizamentos

“Nas cidades onde o problema foi deslizamentos, esse risco continua porque a chuva, apesar de ser mais fraca, é suficiente para manter o solo encharcado. Já as cidades atingidas por inundações podem ter um alívio, mas ainda tem muita água para descer dos afluentes na Serra e os acumulados ainda podem aumentar significativamente”, avalia o meteorologista da Somar, Celso Oliveira.

A expectativa para esta sexta-feira, 22, é de tempo seco e frio intenso, como resultado da queda acentuada da temperatura que vem sendo registrada desde quarta-feira, e também do acúmulo de umidade.

Informações de ZeroHora.com e portal R7

FOTO: reprodução / Adriana Franciosi-RBS

Compartilhar

Alerta: Rio Grande do Sul é o terceiro mais atrasado para Copa de 2014

Avançar »

RS volta a registrar temperaturas negativas, mas frio não deve persistir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*