Exportações de arroz continuam em expansão em junho

No acumulado do quadrimestre do ano agrícola de 2010, as vendas externas alcançaram 174 mil toneladas; dados mantêm tendência de crescimento mensal.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio – MDIC, as exportações brasileiras de arroz, base casca, alcançaram, no mês de junho, 82,5 mil toneladas.

O crescimento substancial representa 81% em relação ao mês de maio, e de 13% sobre o mês de junho do ano passado. Os dados mantêm a tendência de crescimento mensal em 2010.

No acumulado do quadrimestre do ano agrícola de 2010, as vendas externas alcançaram 174 mil toneladas, ou média mensal de 43,5 mil toneladas e 58% da previsão de 300 mil toneladas, conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, mas que deverá ser ultrapassada. O arroz quebrado continuou pontuando as negociações com 57 mil toneladas exportadas, enquanto 23 mil toneladas foram de arroz parboilizado (esbramado ou beneficiado).

No mesmo quadrimestre do ano anterior, os embarques totalizavam 331 mil toneladas, um valor comparativo bastante superior ao mesmo período de 2010, entretanto, alcançava apenas 37% do recorde de quase 900 mil toneladas exportadas.

Competitividade do arroz nacional

Conforme o diretor comercial do Instituto Rio Grandense do Arroz – Irga, Rubens Silveira, apesar do câmbio valorizado, preços internacionais mais baixos e preços de paridade de exportação desfavoráveis em 2010, que diminuem a competitividade do cereal nacional.

“A cadeia produtiva continua priorizando esse essencial segmento de mercado que possibilitou alçar o país, entre os dez maiores exportadores mundiais nos dois últimos anos e manter preços favoráveis no mercado interno”, salientou.

A expectativa em relação a provável quebra de safra na Tailândia (a FAO projeta a menor produção dos últimos 8 anos) e que agentes internacionais indicam uma provável recuperação nos preços mundiais no segundo semestre.

De acordo com o presidente do Instituto, Maurício Fischer, abre uma boa possibilidade de ampliar o escoamento da produção para o mercado externo e a exemplo dos dois últimos anos, restabelecendo este novo vetor para a formação de preços no mercado interno.

Internações

As importações em junho apresentaram arrefecimento em relação ao mês anterior, quando superaram as 100 mil toneladas. Em junho, as internações foram de apenas 70,5 mil toneladas, totalizando no acumulado do ano 289,5 mil, volume apenas 5% superior ao mesmo período do ano anterior.

Para o assessor de mercado do Irga, Marco Tavares, as internações foram exclusivamente do Mercosul, descaracterizando assim a boataria ocorrida há dois meses, de massivas negociações com terceiros mercados (Vietnã, Tailândia e EUA) que acabaram contribuindo negativamente na mudança de cenário de mercado no RS, cuja safra apresentou quebra superior 1,2 milhão de toneladas.

Informações de Assessoria de Comunicação Irga

FOTO: reprodução / Irga

Compartilhar

Inter apresenta novo uniforme, escolhido pela torcida

Avançar »

Morador de rua pode ter morrido de frio em Passo Fundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*