• Visualizações 987

Apenados e familiares beneficiados pelo Bolsa Família receberão profissionalização gratuita

O Governo do Estado, através do Programa Estruturante Recomeçar, visando principalmente à ressocialização do preso, estendeu aos seus familiares a possibilidade de profissionalização, através do Projeto Próximo Passo, coordenado no Estado pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS).

O pré-requisito é um familiar ser beneficiado pelo Programa Bolsa Família. São 40 municípios gaúchos que poderão se inscrever em cursos gratuitos de qualificação profissional na área da construção civil.

Aproximadamente 2,7 mil vagas para cursos de pedreiro, pintor de obras, eletricista de instalações prediais, ferreiro armador, instalador hidráulico predial e assentador de azulejos e pisos cerâmicos com carga horária de 200 horas/aula. As inscrições já podem ser feitas nas agências FGTAS/Sine e, naqueles municípios onde não houver estas unidades, nos Centros Regionais de Assistência Social (Cras) ou prefeituras. Basta levar a carteira do trabalho, o cartão do Bolsa Família e demais documentos pessoais.

Os cursos visam não só à inclusão, mas também à manutenção dos beneficiários do Programa Bolsa Família no mercado de trabalho, e principalmente emancipar esses indivíduos da tutela do governo. A novidade deste programa é que, mesmo que o educando consiga empregar-se após a realização dos cursos, ele ainda seguirá beneficiário do Bolsa Família e continuará a receber contribuição financeira durante dois anos, até se firmar no emprego.

Além de receber lanche, vale transporte e material didático, os participantes serão encaminhados para o mercado de trabalho, via cadastro nas agências FGTAS/Sine.

Neste primeiro momento, apenas os presos dos regimes abertos e semiaberto poderão participar. Para os detentos do regime fechado (que tenham algum parente inscrito no Bolsa Família), a novidade deve ser implantada em março, uma vez que as empresas que ministrarão os cursos ainda estão em processo de licitação.

O crescimento nos níveis de criminalidade e conseqüente aumento da população carcerária do Estado geram a necessidade de buscar a redução nos níveis de reincidência delituosa e a recuperação da condição de cidadão do apenado através da educação, saúde, capacitação e atividade profissional.

Fonte: www.estado.rs.gov.br

Compartilhar

Operação Golfinho contabiliza mais de 1,5 mil salvamentos

Avançar »

Quatorze leilões do Detran/RS serão realizados em fevereiro

Um comentário

  1. jair francisco marczewski
    7 de junho de 2010

    como faço para me inscrever em um curso pois fiquei desempregado e tenho o cartao do bolsa familia mas tinha cancelado o benficio pois tava trabalhando agora q. to sem emprego queria fazer um curso de ferreiro armador

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*