Segunda vítima de manifestos no Brasil morre por inalação de gás

Rapaz de 18 anos foi atropelado por empresário.  Outra vítima foi um gari de 54 anos que inalou gás lacrimogênio lançado pela polícia.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A morte do estudante Marcos Delefrate, 18 anos, fez com que a prefeitura de Ribeirão Preto, cidade do interior de São Paulo, decretasse luto oficial de três dias nesta sexta-feira.

Marcos foi atropelado durante uma manifestação na última quinta-feira, dia 20. A Polícia Militar – PM, comunicou que o protesto reuniu 20 mil pessoas no município, que possui mais de 600 mil habitantes.

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais – DIG, Paulo Henrique Martins de Castro, comunicou que o empresário Alexsandro Ishisato de Azevedo dirigia o automóvel Land Rover, de cor preta, que avançou contra a multidão de manifestantes no cruzamento das avenidas João Fiúza e Adolfo Molina, continua foragido.

A Polícia Militar divulgou um vídeo em que motorista discute com alguns ativistas, que revidaram com pancadas na lataria do carro. Após o ocorrido, o carro avançou sobre os manifestantes.

Incidente em Belém

A segunda vítima foi Cleonice Vieira de Morae, de 54 anos.  Ela trabalhava na limpeza noturna no centro da capital do Pará quando ocorreu o confronto entre manifestantes e policiais em local. Ela veio a falecer depois de ter inalado gás lacrimogêneo lançado pela Polícia Milita.

Após a explosão das bombas, Cleonice passou mal e teve uma parada cardíaca. A Polícia Militar disse em nota de “lamentar profundamente” a morte da gari.

Informações de Agência Brasil

FOTO: reprodução / metalurgicosdebetim.org.br

Compartilhar

Segundo um dos líderes, Movimento Passe Livre São Paulo não convocará novas manifestações

Avançar »

Dupla Gre-Nal destaca-se no ranking de receita com aproveitamento do estádio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*