Pastor Feliciano defende castração de estupradores

Pena entraria no rol de prestação de serviço à comunidade. Castração se dá com medicação e inibe a libido da pessoa. Pode ser temporária ou definitiva.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A crença religiosa e as posições conservadoras do Pastor Marco Feliciano também orientam os projetos de lei de sua autoria. O deputado, agora presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, defende a castração química para estupradores, como uma medida alternativa a esse tipo de criminoso.

Se aprovada, entraria no rol de penas como prestação de serviço à comunidade ou distribuição de cesta básica. Essa castração se dá com medicação e inibe a libido da pessoa. Pode ser temporária ou definitiva.

“O portador desse desvio sabe que poderá vir a reincidir e podendo optar pela troca da pena de prisão, se submetendo a tratamento médico que provoque a chamada castração química, poderá livrar a sociedade de novamente estar exposta aos riscos de seus ataques”, justifica Feliciano no seu projeto.

Feliciano também quer proibir anúncios de prostitutas em classificados de jornais. Argumenta que esse tipo de propaganda deixa crianças e adolescentes expostos a conteúdos impróprios.

“Nossos jovens são estimulados a fazer a leitura desses veículos de informação nas escolas e nas suas famílias, para adquirir conhecimento e o hábito da leitura. Colocar essas propagandas de comércio do sexo em jornais e revistas é um risco para a formação desses jovens”, acredita o pastor.

Papai do Céu na Escola

Marco Feliciano quer alterar decisões no Supremo Tribunal Federal – STF no Congresso e defende que sejam sustadas duas decisões do tribunal: a que concluiu que aborto de anencéfalo não é crime e a que reconhece a união entre pessoas do mesmo sexo. Sobre este tema, Feliciano quer realizar um plebiscito no Brasil.

Na cédula estaria impressa a seguinte pergunta: “O direito brasileiro deve reconhecer a união homossexual como entidade familiar?”. Para ele, casamento só existe entre homem e mulher.

“A decisão do Supremo causou perplexidade e consternação na sociedade brasileira”, diz o autor do projeto.

O deputado também dá pitacos na área de educação e defende a volta da matéria “Moral e Cívica” no currículo escolar. E quer instituir na rede pública de ensino fundamental o programa “Papai do Céu na Escola”, que é a adoção do ensino religioso nessas escolas, incluindo todas religiões.

“Precisamos resgatar o ensino religioso em nosso país de maneira sábia, simples e coerente. Queremos ver os filhos desta Nação olhando para a imensidão do cosmos e dizendo: ‘há um Papai do Céu que cuida de nós”. O parlamentar quer de volta a expressão “Deus seja louvado” nas cédulas de dinheiro.

Informações de O Globo

FOTO: reprodução / Yahoo

Compartilhar

Goleiro Bruno pode obter regime semiaberto em menos de três anos, diz advogado

Avançar »

Famílias de presos receberam R$ 434 milhões no ano passado

4 comentários

  1. Matheus vinicius fagundes
    9 de março de 2013

    Acredito que se todos olhasem a luz da palavra de Deus e o que esta escrito na biblia sagrada veriam que Marcos Feliciano esta certo.
    Deus criou homem e mulher assim os criou nis fala no livro de Genises.
    Acredito no que a biblia ensina e fala pois ela e a boca de Deus falando com nos.

    Quando Cristo buscar a sua noiva muitos verao que o Pastor Marcos Feliciano estava certo.
    Deus abomina o homosexualismo ,
    Deus ama o pecador mas nao ama o pecado.

    Estou pouco me lixando se no Brasil e crime ou nao sobre ser contra os homosexuais e lesbicas.
    O inportante e obedecer a Deus.
    Nunca terei medo do homem porque temo a DEUS O CRIADOR.
    NAO QUERO QUEIMAR NO INFERNO

    Responder
  2. 9 de março de 2013

    Um dia todos estaremos perante o senhor jesus e todos verao que o Pastor estava certo.

    Responder
  3. Anildo Leal Matsdorf
    11 de março de 2013

    É de uma ignorância “Bíblica” essa gente, da “Adoração”…

    Responder
  4. jurisvaldo camilo
    12 de março de 2013

    vou deixar aqui minha opinião. eu acho que a lei tem que ser justa em tudo. as coisas tem que ser analisada, para poder aplicar uma lei correta. por exemplo, eu sou contra estrupo pois e crime. agora tem que passar a saber porque ocorreu o estrupo. talvez foi por causa de um acedio,uma provocação, da outra parte. no caso de pessoas conciente e claro. e ai cadê a lei justa pra todos ? vamos deixar de dar privilegio pra uns e castigar os outros. posicionistas da lei faça lei justas. acedio e provocação, tambem e crime.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*