Apreensões de cocaína triplicam em seis anos, segundo ONU

Uso da droga também aumentou entre as nações sul-americanas, inclusive no Brasil e em outros países que fazem parte do Cone Sul, a partir de meados da década de 90 até 2005.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

As apreensões federais de cocaína triplicaram entre 2004 e 2010, atingindo 27 toneladas, de acordo com o Relatório Mundial Sobre Drogas 2012, divulgado nesta terça-feira, dia 26, pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime – Unodc.

Alguns dados indicam ainda uma expansão do mercado de cocaína, particularmente de crack em alguns países da América do Sul. O uso de cocaína também aumentou entre as nações sul-americanas, inclusive no Brasil e em outros países que fazem parte do Cone Sul, a partir de meados da década de 90 até 2005.

“Dados de pesquisas recentes para o Brasil estão indisponíveis, mas a preocupação com o aumento do uso de cocaína no Brasil se reflete no programa nacional que o País lançou em dezembro de 2011. O aumento nas apreensões também pode refletir o papel do Brasil como um País de partida para a cocaína contrabandeada por meio do Oceano Atlântico”, destaca o relatório.

No mundo, estima-se que cerca de 230 milhões de pessoas (5% da população adulta, com idade entre 15 e 64 anos) tenham usado alguma droga ilícita pelo menos uma vez em 2010. O problema da droga atinge cerca de 27 milhões de pessoas. Praticamente uma em cada 100 mortes entre adultos é atribuída ao uso de drogas ilícitas.

Usuários de injetáveis podem ter a contração de vírus

13% dos usuários de drogas têm problemas com a dependência, incluindo distúrbios e o aumento da incidência de contração do vírus HIV, de hepatite C e hepatite B, entre usuários de substâncias injetáveis.

De acordo com o Unodc, a maconha e os estimulantes do tipo anfetaminas são as drogas mais usadas no mundo. Globalmente, o consumo de cocaína ficou estável, com o número de usuários estimado em 2010 entre 13,3 milhões e 19,7 milhões, correspondendo a 0,4% da população adulta mundial.

Os principais mercados de cocaína continuam a ser a América do Norte, a América do Sul e as Europas Central e Ocidental. O consumo de cocaína entre os adultos diminuiu nos Estados Unidos, passando de 3% em 2006 para 2,2% em 2010. De acordo com o Unodc, isso pode estar relacionado ao declínio de 47% na fabricação de cocaína na Colômbia.

Informações de IG

FOTO: ilustrativa / noticias

Compartilhar

Paulo Maluf diz que Luiza Erundina abandonou candidatura de vice pro ciúmes

Avançar »

Homem que andava abraçado com irmão gêmeo é morto na Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*