Rio+20 começa com diálogos de negociadores em busca de acordo para fechar documento final até o dia 19

Principal obstáculo se refere à definição dos chamados Objetivos do Milênio a partir de 2015. As metas, em termos consensuais, devem valer para todos os países envolvidos nas negociações.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Divididos em sete grandes grupos, os negociadores da Conferência das Nações Unidas sobre Sustentabilidade, a Rio+20, que iniciou nesta quarta-feira, dia 13, intensificam as articulações em busca de um acordo sobre o documento final a ser assinado.

As assinaturas vão ser dos 115 chefes de Estado e de Governo, que se reúnem de 20 a 22 de junho. De acordo com alguns negociadores, apenas um quarto do texto tem consenso. As divergências vão desde a definição de metas até a criação de um fundo para garantir sustentabilidade.

Os negociadores têm até o dia 19 para resolver o impasse. O principal obstáculo se refere à definição dos chamados Objetivos do Milênio a partir de 2015. Essas metas, em termos consensuais, devem valer para todos os países envolvidos nas negociações. Não bastam metas gerais, como disposição de erradicar a pobreza e a fome, assim como incentivar o desenvolvimento sustentável, é preciso avançar no detalhamento.

Os detalhes a respeito dos vários aspectos sobre o desenvolvimento sustentável, o uso adequado de tecnologias e a energia verde são alguns dos aspectos que dificultam o fechamento de acordos entre aqueles que representam os 193 países que integram a Organização das Nações Unidas – ONU e se dizem empenhados em melhorar a qualidade de vida no planeta.

Há, ainda, a pendência sobre a proposta, defendida pelo Brasil e por vários países de economias em desenvolvimento, como a China, para a criação de um fundo de incentivo ao desenvolvimento sustentável, que começa com US$ 30 bilhões a partir de 2013, mas pode chegar a US$ 100 bilhões. O Canadá, os Estados Unidos e vários países se opõem a essa proposta.

Sem acordo, a tendência é que as negociações denominadas Diálogos da Sustentabilidade sigam até o próximo fim de semana. Questões externas à Rio+20 influenciam nas negociações na conferência no Rio de Janeiro. Os europeus estão preocupados com o agravamento da crise na zona do euro. Paralelamente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, um dos ausentes da conferência, está em plena campanha por sua reeleição, em novembro.

No Rio, os negociadores de todos os países tentam buscar expressões e termos que atendam a todos e, assim, fechar o documento final para a cúpula dos chefes de Estado e de Governo na próxima semana.

Informações de Agência Brasil

FOTO: reprodução / EFE

Compartilhar

Enem 2012 soma quatro milhões de candidatos inscritos

Avançar »

Laudo aponta que executivo da Yoki foi decapitado ainda vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*