Militares são presos sob suspeita de tortura e homicídio após tiroteio em São Paulo

Durante a ação, cinco pessoas morreram em um lava-jato e estacionamento. Três pessoas foram presas e cinco conseguiram fugir.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Um sargento e dois soldados da Rota do grupo da Polícia Militar foram presos nesta terça-feira, dia 29, sob suspeita de terem torturado e matado um homem após um tiroteio na noite de ontem na Penha, zona leste de São Paulo. Durante a ação, outras cinco pessoas morreram em um lava-jato e estacionamento da rua Osvaldo Sobreira.

Segundo a polícia, o grupo planejava uma ação para libertar um detento que seria transferido do Centro de Detenção Provisória – CDP do Belém, na capital paulista, para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau.

Ainda de acordo com a polícia, os seis suspeitos baleados foram socorridos, mas um dos carros da Rota teria desviado do caminho para o hospital. Os três policiais teriam parado o veículo a seis quilômetros da ocorrência, onde começaram a agredir o suspeito ferido.

Na ocasião, uma testemunha ligou para a polícia para denunciar a violência, e o suspeito foi morto. O diretor do DHPP, Jorge Carrasco, o tenente-coronel da Rota, Salvador Madias, e o corregedor da PM, coronel Rui Conegundes, afirmaram que toda a operação da polícia foi legítima, com exceção da postura dos três policiais que teriam matado o suspeito.

Uma equipe de 24 policiais chegou ao lava-jato a partir de uma denúncia feita para o quartel da companhia. Na entrada, encontraram um homem, que entregou a arma e não resistiu à prisão.

Ao entrar no estabelecimento, o grupo teria começado a atirar nos policiais, que revidaram. Dos seis mortos no tiroteio de ontem, apenas três foram identificados: Claudio Henrique Mendes da Silva, José Carlos Arlindo Júnior, 35, procurado por furto, roubo e homicídio, e Antônio Marcos dos Santos, 35, procurado por tráfico.

Outros três suspeitos foram presos: Fabiana Rufino de Souza, Luci Maria Pereira Ramos, 48 anos, e Ricardo dos Santos Souza, 34, os dois últimos já eram procurados sob suspeita de roubo, formação de quadrilha, tráfico e porte de arma. Cinco pessoas conseguiram fugir.

Informações de Folha.com

FOTO: reprodução / Folha.com

Compartilhar

Dilma Rousseff sanciona lei que cria banco de DNA de criminosos no Brasil

Avançar »

Setor público registra superávit de R$ 14,2 bilhões no mês de abril

4 comentários

  1. costa
    30 de maio de 2012

    acredito que oque aconteceu nao aconteceu oor acaso, se houve confronto que vença o melhor. exemplo ama caixa de marimbondo esta em um lugar tranquilo se voce vai atira pedra, joga objetos contra os marimbondos oque voce acha que deveriam fazer. fugir? nao um guerreiro nunca foge mostra sua fonte de defesa. ganharam oque pediram, agora todos tem o direitro nnde fazer oque acham que esta certo, as consequencias sao caras. fiquem em paz e parem de tanta violencia.

    Responder
  2. MIGUEL
    30 de maio de 2012

    Esses policiais da rota são herois deveriam dar medalhas e não prender esses herois.

    Responder
  3. marcos vinicios
    30 de maio de 2012

    mataram meu primo

    Responder
  4. marcos r
    16 de junho de 2012

    A ROTA DEVERIA TER MATADOS OS OUTROS CINCOS QUE FUGIRAM AGORA TEM CINCO BANDIDOS NA RUA PRATICANDO ROUBOS CHAMEN A ROTA PARA TERMINAR O SERVIÇO E SOLTEM OS TRES POLICIAS QUE NAO FIZERAM NADA

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*