Família do atirador de Realengo tem dez dias para reclamar o corpo

Caso a família não entre em contato com o IML até o dia 22, Wellington Menezes de Oliveira será enterrado como indigente.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A família do atirador Wellington Menezes de Oliveira, 23 anos, autor do massacre da Escola Municipal Tasso da Silveira, no bairro Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, tem dez dias para reclamar o corpo dele no IML – Instituto Médico Legal.

De acordo com o diretor administrativo do órgão, Luiz Roberto Ribeiro, caso a família não reivindique o corpo do assassino até o dia 22, ele será enterrado como indigente em Santa Cruz, na zona oeste, próximo ao bairro em que parentes dele moravam.

Como o atirador era filho de criação, para fazer o registro de óbito em cartório, é necessário que os familiares que não são consangüíneos apresentem certidão de adoção, algum documento de identidade original do morto e cópia do comprovante de residência do parente.

O governo do Estado do Rio de Janeiro gastará cerca de R$ 600 para enterrar o corpo do atirador. Este é o valor total gasto normalmente com o sepultamento, a remoção e o caixão de indigentes, ou seja, aquelas pessoas que podem ou não ser identificadas, mas que não foram reivindicadas por familiares.

Segundo o IML, o prazo inicial para a retirada de um corpo é de 72 horas, mas a emissão da certidão de óbito pode ocorrer em até 15 dias.

Informações de portal R7

FOTO: reprodução / André Muzell

Compartilhar

Associação de Parentes das Vítimas do Vôo 447 anuncia que caixas-pretas foram encontradas

Avançar »

Tragédia no Rio: Laudo confirma que atirador se suicidou

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*