• Visualizações 531

Varejo registra melhor agosto desde 2001

Aumento da massa salarial, ausência de maiores pressões inflacionárias, aumento da oferta de crédito e impacto da desvalorização do dólar teriam contribuído para resultado.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O comércio varejista registrou o melhor desempenho para o mês de agosto desde o início da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, em 2001, tanto na comparação com julho quanto no confronto com igual período no ano anterior.

As vendas cresceram 2% em agosto na comparação com o mês anterior. Esse foi o quarto mês seguido de expansão, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, dia 14. Na comparação com agosto do ano passado, o comércio registrou alta de 10,4%.

Segundo Reinaldo Pereira, da coordenação de Serviços e Comércio, os principais fatores que contribuíram para o desempenho do setor foram o aumento da massa salarial, a ausência de maiores pressões inflacionárias, o aumento da oferta de crédito e o impacto da desvalorização do dólar.

Influências positivas

Segundo o IBGE, os segmentos com maior influência para o aumento de vendas em agosto foram hipermercados, supermercados e produtos alimentícios, com alta de 1,2% em relação a julho, seguidos de móveis e eletrodomésticos, com variação de 2,9% na mesma base de comparação. Os dois têm também peso elevado na composição do índice.

A maior alta em pontos percentuais foi registrada em livros, revistas e jornais, com alta de 3,5% em relação a julho. Pereira destaca que este segmento tem sido influenciado pela maior diversificação de produtos à venda em livrarias, como CDs, DVDs e produtos de informática.

Os efeitos da desvalorização do câmbio no comércio influenciaram o desempenho de equipamentos de informática, material de escritório e comunicação. O segmento registrou alta de 1,3% em vendas na comparação com julho, impulsionado pelo preço menor de componentes importados em computadores e celulares.

Números

A queda do dólar é fator de preocupação para o governo por conta do impacto negativo sobre as exportações. A moeda americana fechou o dia cotada a R$ 1,655 na última quarta-feira, 13.

No ano, o comércio acumula alta de 11,3% no volume de vendas. O desempenho supera o resultado do ano passado, quando o setor ainda sofria os efeitos da crise econômica que explodiu em setembro de 2008.

A receita nominal no comércio cresceu pelo oitavo mês consecutivo, com expansão de 1,6% em relação a julho. Na comparação com agosto de 2009, a alta foi de 12,8%.

O comércio varejista ampliado, que inclui veículos e material de construção, registrou alta de 2,1% em relação a julho.

As vendas de veículos, partes e peças tiveram alta de 2,4% em relação a julho. Material de construção teve alta de 2% nas vendas.

Informações de Folha.com

FOTO: reprodução / blog flaviopereira

Compartilhar

Bancos voltam ao funcionamento após duas semanas de greve

Avançar »

Caso Bruno: advogado da noiva do goleiro diz ter provas de ameaças

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*