Delegado diz ter provas da presença da ex-amante de Bruno no sítio do goleiro

Polícia Civil mineira ouve testemunhas que afirmam ter visto a moça e o bebê com o goleiro entre os dias 05 e 09 de junho, período que está sendo investigado.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa – DIHPP, da Polícia Civil mineira, delegado Edson Moreira, que investiga o desaparecimento de Eliza Silva Samudio, 25 anos, ex-amante do goleiro Bruno, do Flamengo, deu na quarta-feira, dia 30, uma declaração categórica sobre o caso: “Tenho provas da presença de Eliza no local. Ela já está dentro do sítio”.

Leia Mais

Goleiro Bruno fala pela primeira vez sobre o Caso Eliza

Encontrado vestígio de sangue no sítio e carro de Bruno do Flamengo

Goleiro do Flamengo é suspeito por sumiço de ex-namorada

Duas testemunhas ouvidas pela Polícia Civil mineira podem jogar luz nas investigações. A identidade das testemunhas não foi revelada, mas uma delas foi crucial, pois afirmou ter visto Eliza, junto com o atleta e um bebê que seria do casal, no sítio que Bruno mantém em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Uma denúncia recebida pela polícia afirma que Eliza, que moveu processo contra o goleiro na Justiça do Rio para reconhecimento de paternidade, teria sido morta no imóvel.

Até a quarta-feira, 30, porém, mais de 15 pessoas ouvidas pela polícia – a maioria amigos e funcionários de Bruno – negaram que a jovem tenha estado no local entre o dia 05 de junho, quando deixou a capital fluminense, até o dia 09 seguinte, quando ela fez o último contato com uma amiga.

Moreira não revelou detalhes do depoimento e disse apenas que a testemunha – ouvida em local também não revelado, porque seria conhecida de amigos de Bruno – não soube precisar o dia exato em que viu Eliza no local, mas confirmou que foi no período que está sendo investigado.

Até então, a polícia contava com a quebra de sigilo telefônico de Eliza, já recebido mas ainda sob análise dos responsáveis pelas investigações, para verificar, por meio das Estações Rádio Base – ERB, se ela esteve na região. A polícia também vai fazer cruzamento de ligações feitas e recebidas pelo telefone de Eliza e de outras pessoas envolvidas na investigação, como amigas dela e a mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, que chegou a ser presa por subtração de menores ao tentar esconter o bebê de Eliza na casa de conhecidos do goleiro.

Com informações de O Globo

FOTO: reprodução

Compartilhar

Goleiro Bruno fala pela primeira vez sobre o Caso Eliza

Avançar »

Uniban não aceita acordo com Geisy Arruda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*