Nível do Rio dos Sinos chega a 58 centímetros e chuva não deve ajudar

Água está mais difícil de tratar, devido à situação crítica, relata a Comusa. Agonia nos rios gaúchos deve continuar – chuva nesta semana deve somar 40 milímetros.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Depois de marcar um dos menores volumes de água dos últimos anos para o mês de maio (apenas 61 centímetros no fim de semana), o Rio dos Sinos não tem muito o que comemorar com a chuva prevista para esta quinta-feira, dia 24, no Estado.

Nesta quarta-feira, o nível do rio, que está sendo monitorado diariamente pela Comusa, chegou a 58 centímetros na bomba de captação da empresa Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo. A Comusa pede que a população colabore e use a água de forma racional.

O nível registrado é semelhante ao do verão, quando houve racionamento no município. A água só não foi cortada novamente porque o consumo nesta época é menor e devido à campanha de conscientização realizada na estação mais quente do ano, que surtiu efeito, segundo a Comusa. A empresa relatou ao Portal novohamburgo.org que água captada está mais suja e difícil de tratar, devido ao estado crítico do rio.

Não chove com frequencia desde a primavera passada e a previsão é de que a agonia dos rios gaúchos ainda dure mais 20 dias. Isso porque o período de chuvas regulares deve ocorrer depois da segunda quinzena de junho, quando as temperaturas devem cair e o frio, ficar permanentemente no Rio Grande do Sul.

LA NIÑA – A escassez de precipitações está relacionada à interferência do fenômeno climático La Niña, que se estendeu dos últimos meses de 2011 até abril deste ano. De acordo com a Central de Meteorologia da RBS, a quantidade de chuva prevista para os próximos dias é de, no máximo, 40 milímetros — volume que não deve fazer efeito nos níveis dos rios.

Previsão do tempo

promete sol no sábado

Depois das chuvas no final desta semana, a previsão é de sol e tempo firme em todo o Estado no sábado, dia 26. A partir da segunda quinzena de junho é que haverá frentes frias mais intensas — que devem, inclusive, provocar temperaturas negativas.

Uma ocorrência de ciclone, que tem como consequência a possibilidade de chuvas mais persistentes e em maior quantidade, também está prevista para o período. Entre o final do inverno e o início da primavera, o El Niño deve começar a fazer efeito sobre o Rio Grande do Sul, trazendo excesso de chuvas.

Com informações de Zero Hora

FOTO: Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

Ciclo 2012/2013 do Orçamento Participativo chega à metade comemorando maior participação

Avançar »

Cine Ser CVV exibe “O Palhaço”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*