Novo Hamburgo: E o trem, vem? Inauguração com Dilma Rousseff está pré-agendada para segunda-feira

Agenda dos prefeitos Tarcísio Zimmermann (Novo Hamburgo) e Ary Vanazzi (São Leopoldo) preveem cerimônia de início das atividades de duas estações no dia 21 de maio.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Está chegando o dia 21 de maio, data que pode ser histórica em Novo Hamburgo. É para este dia que está pré-agendado um compromisso da presidente Dilma Rousseff (PT) no município e em São Leopoldo: inaugurar duas das cinco novas estações que fazem parte do projeto de extensão do Trensurb.

Se o evento se confirmar – a programação dos prefeitos Tarcísio Zimmermann (PT) e Ary Vanazzi (PT) para a próxima segunda está focada no início das atividades do trem – a presidente deve percorrer o trecho entre as estações Rio dos Sinos, em São Leopoldo, e Santo Afonso, em Novo Hamburgo.

O jornal Sul 21 questiona a inauguração, argumentando que “apenas com os 33,8 quilômetros atuais de percurso, os passageiros já enfrentam a superlotação dos vagões nos horários de pico, entre as 06 e às 08 horas e das 18 às 20 horas”. Segundo a publicação, a Trensurb estima que mais 30 mil usuários passem a usar o sistema, que será expandido para 43 quilômetros e já é utilizado por cerca de 170 mil passageiros, diariamente.

Ainda de acordo com o jornal, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos do Rio Grande do Sul – Sindimetrô-RS, Luís Henrique Chagas, tem certeza de que os atuais 1.088 servidores não darão conta da demanda. “Haverá um incremento de milhares de usuários e continuaremos com o mesmo número de funcionários – é impossível manter a qualidade”, diz.

NOVOS TRENS – O sindicato também se preocupa com a quantidade de veículos – atualmente, são 25, com quatro vagões cada. Segundo Chagas, a chegada de novos trens demora dois anos e meio a partir da decisão de comprá-los. Os veículos atendem atualmente 17 estações dos municípios de Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia e São Leopoldo.

FOTO: André Ávila / Trensurb

Compartilhar

Liberação em rótula da Primeiro de Março e interrupção na Nações Unidas alteram trânsito

Avançar »

Veja o que funciona durante o feriado de Ascensão do Senhor

2 comentários

  1. julio paris
    18 de maio de 2012

    É muito justo que se disponibilize trens em horários de pico, mas também é justo que os empregados recebam o mesmo reajuste das funções gratificadas que foi 15%. Um empregado da estação recebe líquido 800,00 reais e um gerente recebe líquido 10.000,00 reais. Não é injusta esta diferença??

    Responder
  2. julio paris
    19 de maio de 2012

    A direção da Trensurb está dizendo na imprensa que a greve dos metroviários é política.
    O salário líquido dos empregados das estações é de 800 reais (bilheteiros e seguranças).
    O salário líquido da alta cúpula da Trensurb é de 15 a 20 mil reais.
    Os atuais dirigentes da Trensurb são bilheteiros ou seguranças, se voltassem à função original estariam recebendo os mesmos 800 reais.
    Se estivessem na função original, a greve seria política ou por melhores salários??
    O poder tem como consequência: surdez e amnésia.
    Repetindo, a alta cúpula da Trensurb é composta de bilheteiros e seguranças.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*