Em duas semanas, cidade registra 20 ocorrências de ação de flanelinhas

Prefeito avalia que os chamados guardadores de carros não exercem a atividade, agora ilícita, para gerar renda, e sim para “garantir dependências, como química e alcoólica”.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Há pouco mais de duas semanas, Novo Hamburgo proibiu a atuação de flanelinhas no município. Desde então, a Guarda Municipal contabiliza 20 ocorrências com guardadores de carros – um deles foi detido duas vezes e outro estava foragido do Centro de Atendimento Sócio-Educativo – Case da cidade.

Leia Mais

Proibida a ação de flanelinhas

Segundo a prefeitura do município, todos os indivíduos apresentaram antecedentes criminais, como furto qualificado e de veículo, roubo, receptação, desacato, posse de entorpecentes, tráfico, disparo de armas, formação de quadrilha e em regimento condicional. Além disso, a Guarda constatou que os flanelinhas são oriundos não só de Novo Hamburgo, como também de outras cidades da região.

As informações levantadas até o momento mostram que os flanelinhas não exercem essa atividade para geração de renda, avalia o prefeito Tarcísio Zimmermann (PT). “Em geral, esse tipo de ação é feita para garantir dependências, como química e alcoólica”, destaca.

Na terça-feira, dia 10, uma reunião entre representantes da Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana – Sesmur, do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, da Guarda Municipal, da Brigada Militar e da Polícia Civil debateu o plano de ações de combate aos flanelinhas na partida entre Novo Hamburgo e Internacional, no Estádio do Vale. O jogo marca a estreia do Gauchão 2012, na próxima quarta-feira, 18. Ficou definido que as ações terão o apoio do Pelotão de Operações Especiais – POE da Brigada Militar e também com o plantão especial da 4ª Delegacia de Polícia.

A medida para lidar com os flanelinhas adotada em Novo Hamburgo é oposta à decisão tomada em Porto Alegre, conforme destacou o jornal Folha de S.Paulo. Na capital, os guardadores de carros recebem colete de identificação e um registro oficial da atividade. Desde novembro de 2011, só os cadastrados e ligados a três cooperativas podem trabalhar, e o pagamento por parte do motorista deve ser “espontâneo” e sem valor pré-fixado. São 300 flanelinhas regularizados, segundo estimativa da prefeitura.

DENÚNCIAS – O indivíduo flagrado pelas autoridades em Novo Hamburgo tem a opção de ser encaminhado para o Serviço de Atendimento Social de Rua – SAS Rua e para os projetos sociais de geração de renda desenvolvidos pela administração municipal. Caso não queira se integrar aos projetos, será encaminhado para a Delegacia de Polícia, para registro de ocorrência. Denúncias sobre atuação de flanelinhas podem ser feitas pelos telefones 153 ou (51)3524-8737, da Guarda Municipal, ou pelo 190, da Brigada Militar.

Com informações de Imprensa PMNH

FOTO: Gustavo Henemann / PMNH

Compartilhar

Prefeitura promete inaugurar seis escolas de educação infantil em 2012

Avançar »

Conrado Adolpho confirma presença no I Congresso de Marketing Feevale

5 comentários

  1. Marcelo
    11 de janeiro de 2012

    Não tenho nada contra os flanelinhas (por enquanto), pois onde moro vc fazendo gesto de “não” eles nem aproximam do seu carro.
    Mas os que se dizem “guardadores” de carros esses sim deveriam ser “extintos” pois não passam de “extorsionários” ou “seres que intimidam”, oportunistas dos quais temos que pagar para que os próprios não façam estrago em seu carro.
    E o mais ABSURDO de tudo: ouvir eles dizendo que estão “TRABALHANDO!!!” não sabia que depredar propriedade alheira em ESPAÇO PÚBLICO é considerado “trabalho”

    “Prefeito avalia que os chamados guardadores de carros não exercem a atividade, agora ilícita, para gerar renda, e sim para “garantir dependências, como química e alcoólica”.
    (Prefeito Tarcísio Zimmermann)

    Que essa LEI um dia vigore em todo o país!

    Responder
  2. Inaldo Xavier
    13 de janeiro de 2012

    Marcelo,
    Não sei qual é a sua profissão. Se é regulamentada ou não. Porém, um negócio é certo, voce parece-me que apóia o errado ao afirmar que nada tem contra flanelinhas e sim contra os guardadores de carros. Sou guardador de carros, com muita honra. Tenho registro profissional no Ministério do Trabalho e, para isso, tive que apresentar as certidões do cartório criminal. Sou Cidadão como voce e qualquer outro, pagando meus impostos e contribuindo para o crescimento deste País. Há! Para que vc saiba, a Lei que criou a minha profissão é a 6.242/75, regulamentada pelo Decreto Federal 79.797/77. Por tanto, ninguém pode me tirar o direito de exercer a minha profissão, garantida constitucionalmente. A Lei de Novo Hamburgo é inconstitucional.

    Responder
  3. Leonardo Martins
    15 de janeiro de 2012

    Gostaria de manifestar minha indignação com o descaso que a GM de Novo Hamburgo atende a reclamações de estacionamento irregular. Sempre que recorro a eles, de nada adianta, pois não comparecem ou chegam muito atrasados. Tenho saudades da época em que este serviço cabia a Brigada Militar, pois com a BM nunca deixaram de atender os chamados.

    Responder
  4. Carlos Augusto
    23 de janeiro de 2012

    Inaldo Xavier.
    Vc é guardador de carro com muita honra?
    Quem te deu a concessão da rua? A rua é pública, muitos flanelinhas perderam essa noção, é muita folga o sujeito achar que alguém tem a obrigação de pagar para ele “olhar o carro “, esse serviço indesajado por todos não contribue em nada para o nosso país, flanelinha não recolhe imposto, via de regra tem inúmeras passagens pela polícia, é alérgico a trabalho de verdade e não produz NADA util a sociedade.
    Posso estar te julgado preciptadamente, porém, se quiser se defender, por favor me esclareça algumas dúvidas sobre o seu trabalho.
    1- O que vc faz para merecer o seu dinheiro?
    2- Alguém procura voluntariamente seus “serviço“?
    3-Vc atua na rua?
    4-Se o carro for roubado ou danificado, vc arcará com os prejuízos?
    5-Como vc declara a sua “renda“?
    Grato pela atenção.

    Responder
  5. Marcelo
    12 de fevereiro de 2012

    Gostei Carlos Augusto, muito bom!
    “por favor me esclareça algumas dúvidas sobre o seu trabalho.
    1- O que vc faz para merecer o seu dinheiro?
    2- Alguém procura voluntariamente seus “serviço“?
    3-Vc atua na rua?
    4-Se o carro for roubado ou danificado, vc arcará com os prejuízos?
    5-Como vc declara a sua “renda“?
    Grato pela atenção.”

    Faço das suas peguntas as minhas.

    Inaldo Xavier: Sou operador de caixa, é uma profissão regulamentada.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*