Catadores hamburguenses têm encontro com Dilma Rousseff

Participantes do CataVida estiveram com a presidente em São Paulo na semana passada para encontro nacional da categoria. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Há pouco mais de um ano, eles não sabiam sequer o que era ter uma renda fixa. Dependiam de contribuições que ganhavam catando papelão nas ruas de Novo Hamburgo.

Hoje, eles tem uma profissão: catadores de materiais reciclados. Condição que rendeu a três hamburguenses membros do projeto CataVida um encontro com a presidente Dilma Rousseff. Foi na última quinta-feira, dia 22, em São Paulo, na celebração de Natal dos movimentos de catadores e moradores de rua.

Leia Mais

Câmara dos Deputados premia programa CataVida

Viajaram os catadores Podalirio Rodrigues e Graziela dos Santos e um morador de rua cujo nome não foi revelado, acompanhados pela assessora do projeto, Elisabete Palini. Segundo a coordenadora, Vera Rambo, eles representam um grupo de mais de 180 alunos formados pelo CataVida em dois anos e 65 pessoas vinculadas atualmente a duas unidades de recicladores.

O evento é anual, promovido pela presidência desde o Governo Lula, mas é a primeira vez que representantes de Novo Hamburgo participam. “Imagine o que representa para essas pessoas estar na mesa da presidente”, comemora Vera, em entrevista ao Portal novohamburgo.org.

Durante o encontro, a categoria pediu prioridade na elaboração de um plano nacional de defesa da população de rua, ao apresentar uma lista com 142 mortes violentas registradas esse ano. “Quantos de nós continuarão morrendo, sendo desprezados pela sociedade?”, questiona a presidente do Movimento Nacional da População de Rua, Maria Lucia Santos Pereira. “Nós temos todo um dever em relação à população de rua e o primeiro deles é proteger a vida e proteger contra a violência”, responde Dilma.

Vera Rambo aponta justamente na inclusão social o principal mérito do CataVida, que oferece aulas práticas de coleta e processamento do lixo, cidadania e organização coletiva para associações e cooperativas. As unidades ficam no bairro Roselândia e no Centro. No ano que vem, uma central de processamento de garrafas PET será inaugurada no bairro Rondônia e uma nova unidade no São José.

O projeto recebeu dois reconhecimentos importantes em 2011. O selo de Cidade Cidadã, da Câmara dos Deputados, e o prêmio Gestor Público do Sindifisco-RS. Na sexta-feira, 23, mais de 50 catadores almoçaram com o prefeito Tarcísio Zimmermann (PT).

FOTO: Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

Comusa avalia ampliar horário de racionamento

Avançar »

Guarda Municipal fiscalizará flanelinhas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*