2° Fórum de Acessibilidade debate iniciativas de inclusão

Evento tem como objetivo debater a questão da acessibilidade no município, falando sobre locomoção de deficientes e preconceito.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Nesta sexta-feira, dia 04, já pela manhã, iniciou o 2° Fórum de Acessibilidade – Novo Hamburgo para Todos, na Universidade Feevale. A iniciativa teve o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Desenvolvimento Social – SDS, em parceria com a Coordenadoria de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência – CPPD e com a participação de diversas associações.

“Precisamos debater a questão da acessibilidade em Novo Hamburgo, não apenas sobre a questão da locomoção, mas também para que todos os deficientes sejam tratados sem preconceito”, disse o coordenador de Políticas Públicas para as Pessoas com Deficiência da Prefeitura, Darwin Kremer, iniciando o evento. Nele, começaram diversos debates e rodas de conversa sobre as iniciativas de acessibilidade em Novo Hamburgo.

O Eixo I – Convivência Familiar e Comunitária teve a participação secretarias de Desenvolvimento Social, Saúde – SMS, e Educação e Desporto – SMED. Neste eixo, os secretários de cada pasta apresentaram os planos de cada secretaria, que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência. Cerca de 150 assistiram as apresentações.

Marco Wist, presidente da Associação dos Lesados Medulares do Rio Grande do Sul – LEME, acredita que eventos como este são a oportunidade dos deficientes e seus representantes falarem suas dificuldades e dar sugestões de mudança. “A questão da acessibilidade não está ligada apenas pela falta de vontade e sim pela falta de conhecimento da sociedade”, afirmou Marco.

Além de rodas de conversas, houve palestras sobre a inserção de deficientes no mercado de trabalho, apresentações culturais com o Grupo de Teatro Canal Livre – da Guarda Municipal de Novo Hamburgo – e debate sobre políticas públicas, focando na diversidade e educação inclusiva. Participaram do evento associações como a Associação de Deficientes Físicos – Adefi, Associação de Deficientes Visuais – Adevis, Associação dos Familiares e Amigos do Down 21 – Afad 21, e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Apae.

Informações de PMNH

FOTO: Mônica Bortolotti / PMNH

Compartilhar

Programa Crescer de Microcrédito é lançado

Avançar »

Ingressos para show de Chico Buarque variam entre R$ 200 e R$ 300

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*