Sob protestos, vereadores optam por aumentar em 50% número de cadeiras

Projeto que mantém em 14 o número de parlamentares na cidade é rejeitado, mas ainda volta a ser votado no início de outubro; “Inconformados” promete manter mobilização. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Tudo indica que a partir de 2013 os hamburguenses passarão a ser representados por 21 vereadores. Aumento de 50% no tamanho atual da Câmara e uma despesa superior a R$ 1 milhão anual aos cofres públicos.

Leia Mais

Entenda porque Novo Hamburgo pode ter 21 vereadores em 2013

Opinião do novohamburgo.org: Mais vereadores; menos saúde, educação, segurança…

Nesta quinta-feira, dia 15, os parlamentares rejeitaram em primeiro turno o Projeto de Emenda a Lei Orgânica que visava a evitar a ampliação das vagas que estarão em disputa nas eleições do ano que vem, autorizada pela legislação federal. Cidades do porte de Novo Hamburgo podem ter até 21 cadeiras – hoje, a Capital Nacional do Calçado tem 14.

O clima era tenso durante a votação no plenário da Casa, ocupado por cidadãos ligados aos movimentos Mobiliza Inconformados e Quero14!, contrários ao aumento. Faixas e camisetas identificavam os manifestantes, que reagiam a cada intervenção dos vereadores com aplausos ou vaias.

Quem primeiro foi à tribuna defender a manutenção em 14 cadeiras foi Alex Rönnau (PT), um dos autores da proposta. Ele utilizou como argumento a criação de 50 cargos administrativos na Prefeitura, quando colegas que criticaram a medida defendiam a economia aos cofres públicos. Agora, não se importam com a despesa que gera ao município as novas vagas. A opinião foi compartilhada por Jesus Martins (PTB), que também assina o projeto.

O suplente Pedrinho de Oliveira (PDT), pela primeira vez no plenário como vereador no lugar do titular Antonio Lucas, licenciado, foi o mais veemente na defesa de 21 cadeiras. “Eu respeito o grupo dos inconformados, mas eu sou do grupo dos abandonados”, disse o pedetista, referindo-se a comunidades da periferia, que, para ele, teriam mais chances de ser representadas com mais vagas para vereadores.

IRONIA – Já o vice-presidente da Câmara, Matias Martins (PT), foi à tribuna dizer que aceitava a posição da Executiva petista, que fechou questão pela manutenção de 14 vagas. Entretanto, impôs uma condição. Queria a aprovação de emenda de sua autoria prevendo o “mandato gratuito”; vereadores trabalhariam sem receber salários. Irônico, disparou: “Se é para fazer demagogia, vamos radicalizar”. Como o projeto foi rejeitado, a emenda sequer foi votada.

Placar

Por tratar-se de alteração na Lei Orgânica, era preciso pelos menos 10 votos dos 14 possíveis para a aprovação. Faltou dois. Oito vereadores foram favoráveis e seis contrários. A proposta volta ao plenário no início de outubro para apreciação em segundo turno. O regimento prevê um intervalo de 10 dias entre as votações, no mínimo, mas o vereador Ito Luciano (PMDB) pediu vistas de 15 dias para analisá-la.

“Não tá morto quem peleia”

Ao enrolar a bandeira que empunhava durante as manifestações, um dos líderes do Mobiliza Inconformados lamentou a decisão dos vereadores. “Hoje, eu enrolo a minha bandeira com tristeza, mas amanhã é outro dia”, dizia Alexandre Robinson, resignado. “Não tá morto quem peleia.”

Em entrevista ao Portal novohamburgo.org, Robinson garante que a mobilização pela manutenção de 14 cadeiras na Câmara de Novo Hamburgo continua. No dia 22 de setembro, ele ocupa a tribuna para tentar sensibilizar os parlamentares a rever suas opiniões. “Vamos trazer mais argumentos que provam que 14 é melhor para a cidade.”

REFERENDO – Caso a tendência de rejeição do projeto novamente em segundo turno se confirme, o Mobiliza Inconformados já planeja coletar aproximadamente 18 mil assinaturas de hambugurneses – 10% do eleitorado – para a realização de um referendo questionando a opinião da população: 14 ou 21? Em agosto, 10 mil assinaturas já foram entregues ao presidente do Legislativo, Leonardo Hoff (PP), em apoio à manutenção de 14 vereadores.

FOTOS

Douglas Cypriano / CMNH

Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

Empresas da região são identificadas como responsáveis por depósito irregular de resíduos

Avançar »

Operário morre após queda de obra na Feevale

3 comentários

  1. Gerson de Oliveira
    16 de setembro de 2011

    Isso é uma pouca vergonha mesmo. Para que tantos vereadores???
    Parabéns a todos vereadores que votaram contra e um especial para o Betinho que honra o seu ofício.

    Responder
  2. antonio marcos batista da silva
    18 de setembro de 2011

    Parabéns para aqueles que tem consciencia que para saber as necessidades de seu povo não precisa de quantidade e sim de qualidade de representantes do povo,trabalhem mais e reclamen menos.Coloquem Deus e as pessoas à frente de seus trabalhos e eles daram resultados satisfatório à todos,o povo paga seus salários portanto seria muito digno que se respeitase seus patrões,usem da lógica e da razão nem que seja uma vez na vida.Pode-se fazer mais com menos. Fiquem com Deus.

    Responder
  3. Tati
    19 de setembro de 2011

    Quem votou a favor é safado mesmo…..Quer garantir a mamada na próxima eleição. Se 14 já não fazem nada pelo povo, 21 muito menos…..

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*