Francal 2011: Empresas venderam quase R$ 2 milhões na Casa Novo Hamburgo

Foram cerca de 40 mil produtos comercializados na feira em São Paulo, no final de junho, e alguns expositores chegaram a vender o equivalente a quatro meses de produção. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Nada como sentir-se em casa em uma feira coureiro-calçadista que ocorre em São Paulo. É a impressão que fica do balanço final do estande Novo Hamburgo – Capital Nacional do Calçado na Francal 2011.

Leia Mais

Francal encerra movimentando negócios para o segundo semestre

Francal 2011: Hamburguenses sentem-se em “casa” e comemoram vendas

A Prefeitura divulgou os resultados essa semana. Em quatro dias de feira – de 27 a 30 de junho -, nos pavilhões do Parque Anhembi, as 20 empresas que ocupavam o espaço comercializaram cerca de 40 mil produtos, entre bolsas e pares de sapatos. Em dinheiro, aproximadamente R$ 1,8 milhão vendidos.

Novo Hamburgo era a única cidade do país com um estande próprio na 43ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios. O investimento oportuniza que pequenas e microempresas participem das principais atividades do setor coureiro-calçadista. “Esses valores (em vendas) com certeza aumentarão. As empresas já começam a ficar mais conhecidas e os contatos permanecem”, argumenta o prefeito Tarcísio Zimmermann (PT), justificando a política de apoio aos empresários.

E não é só no Brasil que a Capital Nacional do Calçado ganha projeção. Pelo menos não para o secretário de Desenvolvimento. Carlos Finck avalia que as empresas hamburguenses mostraram sua capacidade para o mundo. “Levamos a marca de Novo Hamburgo para grandes feiras. E resultados como esse só reforçam a identidade do município como Capital Nacional do Calçado.”

Produtos infantis para

vendas de gente grande

Já imaginou vender em quatro dias o equivalente a quatro meses de produção? Venda de gente grande! É o resultado da empresa de calçados infantis Amoreco na Francal 2011.

A diretora Daniela Gums (foto) admite que a quantidade de negócios fechados superou a expectativa. “A nossa coleção foi muito bem aceita. Realizei vendas até para empresários da África do Sul.”

Engana-se, no entanto, quem pensa que a Amoreco não se preparou para atrair os clientes. Dois livros eram oferecidos: Meu primeiro sapatinho e Meu sapatinho de batizado. Ao abrir o livro, o que o potencial leitor encontrava, ao invés de letras, era um par de sapatos.

Daniela Gums explica o objetivo da iniciativa. “Todas as mães adoram registrar os momentos da vida de seus filhos. Foi pensando nisso que adotei esta idéia. E foi um sucesso”, comemora. O pós-feira também já rendeu bons frutos. Cerca de 1,2 mil pares já foram encomendados.

Com informações de Imprensa Prefeitura de Novo Hamburgo

FOTOS: Gustavo Henemann / PMNH

Compartilhar

Lomba Grande recebe a 22ª Festa do Colono

Avançar »

Escolas de educação infantil estarão abertas durante recesso de inverno

Um comentário

  1. suzana
    29 de julho de 2011

    oii
    bom gostaria de abril uma ponta de estoque, na minha cidade pois não tem ,
    principalmente de sapatos infantil , a minha cidade tem mais de 12 mil habitantes e não tem loja especializada em sapatos infantil e muito mesmo feminino .gostaria de saber como posso fazer para montar uma ponta de estoque aqui .

    suzy

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*