Vale do Sinos: Comandante da BM defende inteligência e tecnologia no combate à violência

Coronel do Comando Regional de Policiamento Ostensivo – CRPO/VS esteve na reunião quinzenal do grupo Pensando Novo Hamburgo para falar sobre mudanças na Brigada Militar.

Mônica Neis Fetzner monica@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A situação da segurança pública hamburguense foi abordada pelo comandante regional de policiamento ostensivo do Vale do Sinos, coronel Kleber Roberto de Lima Senisse, na reunião do grupo Pensando Novo Hamburgo desta quarta-feira, dia 27.

O coronel explicou as mudanças na atuação da Brigada Militar dentro do que chamou de “modelo contemporâneo de segurança pública”. “Desde janeiro, trabalha-se num programa de gestão, no qual em vez de prender apenas o usuário de drogas, por exemplo, faz-se uma operação integrada para diminuir, em primeiro lugar, a comercialização do produto”, argumenta.

Senisse aproveitou o encontro com lideranças políticas, empresariais e comunitárias para  justificar a diminuição de policiais militares – PMs circulando a pé nas ruas do município. “Embora os PMs a pé dêem uma sensação de mais contato com a população, eles são capazes de cobrir apenas um quarteirão”. Por isso, acrescenta, desde o início do programa, o número de veículos em operação nas ruas subiu de 15 para 35.

PENITENCIÁRIAS – Quando questionado sobre o sistema carcerário, o coronel do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Vale do Sinos – CRPO/VS foi taxativo. “O sistema prisional entrou em colapso porque a polícia está prendendo e a violência está fora do padrão.”

“Acontece, sim, de um PM prender um delinqüente e três dias depois vê-lo na rua e prendê-lo novamente. Mas a Brigada Militar não pode deixar de fazer o seu trabalho porque outra parte do sistema de segurança não funciona”, avalia.

Inteligência é o pilar

O pilar fundamental para a Brigada Militar moderna, na opinião do coronel, é a inteligência. O contingente em Novo Hamburgo é de 340 PMs, considerado insuficiente. “Para multiplicar este número, que não tem previsão de crescimento, vamos utilizar a tecnologia”, explicou.

A utilização do sistema de posicionamento global (GPS) nas viaturas é exemplo. “Os aparelhos fornecerão a localização das viaturas e reduzirão o tempo-resposta das ocorrências e as manutenções nos veículos.”

O comandante destaca ainda que há como melhorar a segurança pública mesmo sem o aumento do efetivo. A implantação de núcleos de comunicação social nas unidades da Brigada dos 16 municípios que compõem o Vale do Sinos atenderiam à necessidade de integrar todas as instituições relacionadas à segurança.

FOTO: Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

Capela mortuária é inaugurada no bairro Roselândia

Avançar »

Projeto Bolsa Moradia deverá auxiliar famílias atingidas pelo temporal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*