Consciência Negra: “Leis não faltam, falta cumpri-las”, diz coordenador da Igualdade Racial

Eduardo Gomes da Silva fala ao Portal novohamburgo.org sobre os avanços e os desafios no combate ao preconceito contra o negro em Novo Hamburgo, citando inclusive o racismo institucional.

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

“Leis não faltam, falta cumpri-las.” Assim o titular da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Igualdade Racial define o desafio que se impõe ao Movimento Negro.

Leia Mais

Conheça a história de Zumbi dos Palmares

Eduardo Gomes da Silva, conhecido como Tamboreiro, ocupa o cargo desde janeiro de 2009 e é também militante da causa nos movimentos sociais. Em entrevista ao Portal novohamburgo.org, fala sobre o papel do órgão que comanda.

Dia 20 de novembro. Hora de combater o preconceito. Lembrar que em 1695, Zumbi dos Palmares morreu liderando um quilombo, sem desistir da luta pela liberdade dos povos afro-descendentes que ajudaram a construir a história do Brasil.

Todo o ano é assim: quando a data se aproxima, debates sobre o tema enchem a agenda da Semana da Consciência Negra. Em Novo Hamburgo, não é diferente. Como em 2010 caiu no sábado, desde a última segunda-feira a Praça do Imigrante, por exemplo, recebe atividades.

Igualdade o ano inteiro

E no dia a dia? Como a sociedade brasileira lida com a discriminação? É justamente no sentido de fomentar essa reflexão diariamente que atua a Coordenadoria da Igualdade Racial, como explica Eduardo Tamboreiro (foto). “Representa o compromisso da administração pública de trabalhar a questão das políticas para a igualdade.”

Criado no primeiro ano do Governo Tarcísio (PT), o órgão tem status de Secretaria e é responsável por implementar, efetivamente, ações que visem ao fim do preconceito, não só contra o negro, mas contra qualquer etnia. A aposta principal é na Educação. “Só assim vamos conscientizar as novas gerações sobre a importância de respeitar as diferenças.”

Com apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, a Coordenadoria trabalha em projeto de capacitação de professores e conscientização da comunidade escolar. A idéia é fazer com que todas as unidades da rede municipal cumpram plenamente a legislação que prevê o ensino da história dos povos afro-descendentes.

DESAFIOS – Para Tamboreiro, além do cumprimento das leis, o Movimento Negro tem outro grande desafio: acabar com o racismo institucional. “Se você olhar nas empresas, os negros sempre ocupam cargos menores. Isso quando não estão no sub-emprego”, denuncia. “As mulheres negras, então, são as que têm os salários mais baixos do mercado.”

Negro ajudou a construir

Novo Hamburgo

Que Novo Hamburgo é uma cidade conservadora, não é novidade. E também não é sinal de maldade ou qualquer coisa que o valha. Trata-se de uma cultura calcada nos valores germânicos, trazidos pelos colonizadores alemães no início do Século XX.

O que Eduardo da Silva não se cansa de lembrar é que o negro tem participação fundamental na construção da economia hamburguense. “Há 80 anos, mais ou menos, os negros vieram para cá das charqueadas para ensinar os donos de curtume a trabalhar”, conta.

Compartilhar

Projeto Empresa Parceira da Juventude beneficiará alunos do ProJovem Urbano

Avançar »

CDL elege nova presidência e conselho

Um comentário

  1. Maria de Assis
    23 de novembro de 2010

    É necessário, ou melhor, fundamental que as pessoas façam valer as leis, exigindo que sejam cumpridas no ato de qualquer ação que revele discriminação, preconceito ou qualquer forma de ofensa ao indivíduo negro. Temos que fazer valer a eficácia das leis.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*