Novo Hamburgo: Obras de extensão do Trensurb superam expectativa

VEJA FOTOS! Até agosto, 60% dos trabalhos já estavam concluídos. Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre quer que Estação Liberdade esteja pronta no início de 2011.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A cada metro de trilho, cresce a expectativa da comunidade hamburguense. É a extensão da Linha 1 do Trensurb de São Leopoldo a Novo Hamburgo. Tão aguardada!

Leia Mais

Acompanha as imagens do andamento das obras

Até agosto, quase 60% das obras já estavam concluídas. A informação é da direção da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre – Trensurb S/A, que avalia o índice acima das expectativas. A intenção é deixar pronta a primeira Estação da Capital Nacional do Calçado até dezembro. Nada mal para quem esperou 10 anos só pelo início dos trabalhos.

Na última vez que vistoriou a extensão, o ministro das Cidades elogiou a agilidade. “Não fiquei surpreso com a marca atingida. Venho acompanhando cada etapa concluída. Os resultados alcançados demonstram a rapidez com que está sendo executada, uma vez que começou, não parou mais”, dizia Márcio Fortes.

Viabilizada pelo Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, do Governo Federal, a extensão do Trensurb custa aproximadamente R$ 700 milhões. Começou em fevereiro de 2009 e deve ficar pronta até o final de 2011. São quatro novas estações: Rio dos Sinos, ainda em São Leopoldo; Liberdade (foto); Fenac; e Novo Hamburgo. A primeira hamburguense será concluída pode entrar em funcionamento no início do ano que vem.

Com informações de Trensurb S/A

FOTO: divulgação / Trensurb S/A

Compartilhar

SDR promove curso de artesanato em Lomba Grande

Avançar »

Nadador hamburguense é convocado pela Federação Gaúcha de Desportos Aquáticos

Um comentário

  1. Carlos Henrique
    26 de março de 2011

    Nada vi sobre os Estudos de Impacto de Vizinhança. Penso que o traçado na área central da cidade é uma aberração.
    O equipqmento (trem e terminais) são desproporcionais e incompatíveis com o entorno urbano. É uma desproporção.
    Por fim, todo plano diretor deveria considerar a possibilidade de traçar as vias de transporte no perímetro da área urbana, ao contrário do que está proposto. Vão dividir a cidade ao meio. A que custo?

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*