Reforma da casa de bombas está em ritmo acelerado

Estrutura faz parte do Sistema de Proteção contra Cheias do Município, responsável por grande parte da drenagem pluvial e do escoamento das águas das chuvas.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

As reformas da Casa de Bombas, situada no bairro Santo Afonso, estão adiantadas. A reestruturação do local foi iniciada no mês de janeiro, a partir da liberação de R$ 2,3 milhões do Ministério da Integração Nacional – MIN.

O secretário de Obras Públicas e Serviços Urbanos de Novo Hamburgo, Lino de Negri, explica que a obra estava prevista para encerrar em janeiro de 2011, mas que boa parte do calendário planejado já foi realizada. “Mesmo com a previsão de um ano, as obras estão bastante aceleradas. As ações eletro-mecânicas e boa parte da reforma da estrutura já estão concluídas”, afirma.

Desde o início das melhorias no local, o telhado já foi totalmente reformado, sete bombas e quatro motores foram refeitos e dois transformadores foram remodelados e atualizados. Foram construídas também uma nova casa de medição e de operação, além de muros e portões. Também foram adquiridos novos painéis de controle dos motores.

Atualmente está sendo realizada a reforma estrutural, que abrange a pintura, adequação da iluminação, finalização das novas construções e a colocação de uma área coberta em cima das grades, para que em situações de chuva a equipe de operação fique protegida. Além disso, uma segunda entrada de energia elétrica está sendo providenciada, o que aumentará a confiabilidade do funcionamento das bombas.

Segundo o diretor de Esgotos Pluviais da SEMOPSU, Jorge Koch, também foram substituídos os chamados “flaps”, janelas instaladas junto as bombas que bloqueiam ou permitem a passagem d’água. “Estes equipamentos estavam com furos, o que permitia a passagem da água, comprometendo o seu funcionamento”, diz.

A SEMOPSU ainda trabalha periodicamente para desassorear as valas de micro e macro drenagem que chegam até a bacia, além da limpeza constante das margens do arroio e dos resíduos sólidos vindos com o fluxo d’água do Arroio Gauchinho, contidos pelo mangote, uma barreira instalada no arroio pouco antes da entrada da Casa de Bombas.

Como funciona a Casa de Bombas

A Casa de Bombas tem o objetivo de drenar as águas vindas do Arroio Gauchinho, boa parte do bairro Santo Afonso (inclusive a Vila Palmeira) e também parte da Vila Brás (São Leopoldo)  que desaguam no Rio do Sinos, evitando as cheias no local.

Quando o nível do Rio sobe, comportas metálicas se fecham, impedindo que a água retorne a bacia de acumulação. “Apenas neste momento é necessário que sejam ligadas às bombas, assim força-se que a água da bacia de acumulação vá para o Rio dos Sinos, evitando as cheias e protegendo a vida e o patrimônio dos moradores do local”, explica Koch.

A estrutura faz parte do Sistema de Proteção contra Cheias do Município, que abrange ainda o dique no Arroio Gauchinho e as valas da Rua Eldorado e da Palmeira, responsáveis por grande parte da drenagem pluvial do bairro e o escoamento das águas das chuvas.

A última enchente no bairro foi antes do início das reformas, no dia 10 de janeiro, o que comprova a eficiência do trabalho desenvolvido na Casa de Bombas. “De janeiro para cá, mesmo com as fortes chuvas que já tivemos no Município, não houve nenhum episódio deste tipo”, relata o diretor.

Informações de Imprensa da PMNH

FOTO: divulgação / Diogo Fernandes

Compartilhar

Prefeitura e Feevale inauguram rua e novo capeamento asfáltico

Avançar »

Presidente da Picadilly é o convidado do De Sócio para Sócio na ACI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*