• Visualizações 1919

“Cronograma está sendo cumprido rigorosamente”, diz Trensurb sobre extensão da Linha 1

Superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre diz que obras que trazem os trilhos do trem à Novo Hamburgo andam em ritmo acelerado.

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Em 2011, os hamburguenses poderão ir à Capital gaúcha de Trem. Quem garante é o superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb.

Humberto Kasper esteve na reunião-almoço quinzenal do Grupo Pensando Novo Hamburgo nesta quarta-feira, dia 19, e afirmou que “o cronograma das obras está sendo cumprido rigorosamente”. Refere-se à extensão da Linha 1 de São Leopoldo à Novo Hamburgo.

Leia Mais

Acompanhe o andamento das obras de extensão do Trensurb

Técnicos da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre – Trensurb S/A revelam que 44% dos trabalhos já foram executados. A Estação Liberdade – primeira em Novo Hamburgo – deve estar pronta em outubro desse ano. Segundo Kasper, no entanto, isso não quer dizer que o trem já esteja em operação, o que pode ficar para 2011.

REMOÇÕES – “Temos um trecho crítico em São Leopoldo de desapropriações.” A justificativa do superintendente da Trensurb é um alerta para possíveis atrasos. Por outro lado, a boa notícia é que até o final de maio, conforme Humberto Kasper, as últimas famílias serão removidas do local, desobstruindo completamente as obras.

Ponte para o trem passar

Não será a travessia do Rio dos Sinos que impedirá o trem de chegar a Novo Hamburgo. Na noite de quarta-feira o Consórcio Nova Via concluiu a ponte por onde passam os trilhos em São Leopoldo, no prolongamento da Avenida Mauá.

Um investimento de R$ 13,5 milhões e construção pelo método do balanço sucessivo, que não utiliza pilares no leito do rio e gera menor impacto ambiental. São 195 metros de extensão e 9,70 metros de largura. Na semana que vem, fica pronta a ponte rodoviária, que custa outros R$ 15,5 milhões e pode contribuir para descongestionar o trânsito na BR 116.

Para o presidente da Trensurb S/A, a ponte prova a agilidade das obras. “É um marco importante, um símbolo de integração. Estamos satisfeitos com o avanço”, avalia Marco Arildo Prates da Cunha, que não pôde participar do encontro do Pensando Novo Hamburgo por problemas de saúde na família.

ELOGIOS NACIONAIS – Humberto Kasper comemora o cumprimento do cronograma de trabalho que começou a ser executado em fevereiro de 2009. “Estamos sendo nacionalmente elogiados pela velocidade das obras.”

O que possibilita a celeridade é a inclusão da extensão da Linha 1 no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, do Governo Federal, como explica Kapser. “Não precisamos a cada ano lutar para incluir recursos no orçamento. Eles já estão garantidos no PAC.”

A previsão de conclusão da última estação, a Novo Hamburgo, em frente ao Bourbon Shopping, no Centro, é para o final de 2012. O custo total da obra deve ultrapassar os R$ 700 milhões. São 9,3 quilômetros de trilhos e quatro estações: Rio dos Sinos, Liberdade – que ficam prontas em 2010 – Fenac e Novo Hamburgo. Ainda há a possibilidade de uma quinta não prevista no projeto original. Ficaria no bairro Industrial, entre as duas últimas.

Comunidade hambueguense quer

discutir o impacto urbanístico

O clima foi de euforia pelo andamento das obras, é verdade. Contudo, a preocupação quanto ao impacto urbanístico permeou o encontro. Foi a sensação da equipe do Portal novohamburgo.org que esteve presente.

Prova disso é a solicitação do vereador Raul Cassel (foto), do PMDB. “Precisamos de um amplo debate com a Trensurb antes de a obra ser finalizada para que os problemas sejam resolvidos.”

A polêmica reside sobretudo no trecho dos trilhos que vai da Avenida Sete de Setembro, no bairro Liberdade, até o Centro, pelas avenidas Primeiro de Março e Nações Unidas.

A interrupção de vias públicas durante as obras e a nova configuração do trânsito nas imediações do Bourbon Shopping com a conclusão da Estação Novo Hamburgo chamam a atenção.

E as reivindicações dos hamburguenses terão ressonância. Pelo menos é a promessa de Humberto Kasper. “Não vamos tomar nenhuma atitude que não seja aprovada pela comunidade.”

Com informações da Imprensa da Trensurb S/A

FOTOS

Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

divulgação / Trensurb S/A

Compartilhar

Novo Hamburgo: Dia da Conscientização Tributária 2010 promete surpresas

Avançar »

Vereadora hamburguense afirma que o Disque 100 é arma contra violência

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*