Bolão premiado: Funcionária da Esquina da Sorte admite culpa, mas polícia não descarta estelionato

Diane Samar da Silva, 21 anos, diz ter esquecido de registrar números de bolão vendidos pela casa lotérica e sorteados na Mega Sena. Investigação segue mesma linha.

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org

Um vídeo de câmeras de segurança e uma confissão da funcionária responsável pelos bolões na Esquina da sorte.

Elementos que poderiam levar a polícia a concluir que não houve crime no caso dos apostadores da Mega Sena lesados em Novo Hamburgo. Não para o delegado Clóvis Nei da Silva.

Leia Mais

Acumulou: Ninguém leva Mega Sena depois de confusão e prêmio supera agora R$ 70 milhões

VEJA O VÍDEO! Dono de lotérica mostra vídeo de funcionária que não teria registrado bolão: “Não sou um estelionatário”

Diane Samar da Silva, 21 anos, prestou depoimento por quase três horas na tarde desta quinta-feira, dia 25, e admitiu não ter registrado os números vendidos em um bolão da loteria que acabaram sorteados pela Caixa Econômica Federal. O jogo valeria R$ 53 milhões.

A jovem chegou à 2ª Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo acompanhada pela advogada Graziela Moraes e saiu sem falar com a imprensa. O silêncio será, aliás, a estratégia adotada pela defesa até o final do inquérito policial, segundo a advogada.

Para o delegado responsável, a confissão não afasta a hipótese de estelionato. “Estamos trabalhando com a hipótese de crime. O inquérito está aberto por estelionato. Precisamos averiguar se houve má fé”, explica Clóvis da Silva. Ele quer saber também se a situação se repetiu em oportunidades anteriores em que os números de eventuais bolões não foram sorteados. A versão de esquecimento não convenceu os apostadores, que não abrem mão de brigar pelo prêmio na Justiça.

Colega confirma esquecimento

Quem também falou à polícia foi a colega de Diane da Silva que aparece no vídeo apresentado pelo dono da lotérica, José Paulo Abend. Nas imagens, as duas funcionárias aparecem conferindo os jogos na lotérica no sábado, dia 20 de fevereiro, logo após o sorteio da Mega Sena. Fátima Schon confirmou a versão de esquecimento.

“Bateu o desespero. Ela (Diane) ligou para o Paulo (proprietário) e ele autorizou nós ir até a lotérica. Ela olhou e estava as três matrizes embaixo do caixa dela”, sustenta Fátima. Em entrevista à RBS TV, lembra ainda que o pai de Diane seria um dos apostadores do bolão premiado. Seriam três jogos não registrados de quatro vendidos. Fátima e outros três funcionários da Esquina da Sorte também se dizem proprietários de cotas e pretendem processar a Caixa Federal e a lotérica.

Com informações de rádio Gaúcha e RBS TV

FOTO: Felipe de Oliveira / novohamburgo.org

Compartilhar

ACI e JUCERGS buscam estratégias para ampliação dos serviços

Avançar »

AME está com vagas abertas para empresa do município

6 comentários

  1. julians
    25 de fevereiro de 2010

    trabalho em uma loterica em lavras mg e stou muito envergonhada pelo erro ocorrido pois era tbem uma vendedora de bolao e estou sendo bastante criticada pelo fato ocorrido e o mais engraçado apenas uma pergunta se ela nao passou o jogo nao teve diferença no total geral do bolao ou do caixa dela?

    Responder
  2. Conde Thiago
    26 de fevereiro de 2010

    Sei lá, todos nós estamos sujeitos à falhas, e levando em conta que o pai da moça também tinha entrado no bolão, acho que ela já terá fantasmas demais para ter que enfrentar ainda dedos apontados contra ela. Eu não jogo na Mega Sena. Nunca joguei em nada. Mas estou com dó de todo mundo que está envolvido.

    Responder
  3. Conde Thiago
    26 de fevereiro de 2010

    Ah, falando nisso, não tem como processar a CEF por causa disso. No máximo, a lotérica. A CEF não tem responsabilidade nenhuma em cobrir falhas humanas, ou se for o caso, estelionato. Esse é um problema exclusivo do estabelecimento.

    Responder
  4. peter
    24 de março de 2010

    aconferencia e realizada pelo relatório do caixa,aquele tirado na hora do fechamento.Como o jogo não havia sido registrado,ele não constava no relatorio,portanto o fechamento bateu.Isso é simples,o difícel é as pessoas compreenderem.

    Responder
  5. monica
    25 de março de 2010

    Tambem sou funcionária de loterica, e gostaria de saber que papel essa moça ( funcionária Daiane),coloca dentro do caixa e logo após retira denovo?Seria esta a cota do pai dela? Ou algo que deveria estar no caixa e não estava? Estamos todos,(funcionários lotericos) sendo motivo de piadas quando falamos em MEGA SENA, nem jogos no escuro o pessoal acredita mais… sinceramente todos fomos prejudicados, quem trabalha e tinha orgulho em dizer SOU FUNCIONÁRIA LOTÉRICA, agora quando fala isso recebe de piadinha ” MAS LÁ TU REGISTRA TEUS JOGOS?” , e ainda devemos levar na esportiva!

    Responder
  6. monica
    25 de março de 2010

    Tambem sou funcionária de loterica, e gostaria de saber que papel essa moça ( funcionária Daiane),coloca dentro do caixa e logo após retira denovo?Seria esta a cota do pai dela? Ou algo que deveria estar no caixa e não estava? Estamos todos,(funcionários lotericos) sendo motivo de piadas quando falamos em MEGA SENA, nem jogos no escuro o pessoal acredita mais… sinceramente todos fomos prejudicados, quem trabalha e tinha orgulho em dizer SOU FUNCIONÁRIA LOTÉRICA, agora quando fala isso recebe de piadinha \" MAS LÁ TU REGISTRA TEUS JOGOS?\" , e ainda devemos levar na esportiva!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*