“O que indigna são os aproveitadores”, diz secretário da Habitação sobre “moradia” em canos

Em entrevista ao Portal novohamburgo.org, Juarez Kaiser explica situação de famílias abrigadas em tubulações na periferia de Novo Hamburgo depois de ter casas inundadas.

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org

Quando uma família busca refúgio em tubulações com crianças e bebês, é porque alguma coisa não está bem em suas casas.

Certo? Sim, mas em partes, diz o secretário de Habitação de Novo Hamburgo. Em entrevista ao Portal novohamburgo.org, Juarez Kaiser falou sobre a situação das famílias abrigadas em tubulações de uma praça em construção no bairro Santo Afonso. O caso ganhou repercussão nacional essa semana, depois de matéria exibida na TV Globo.

Leia Mais

VÍDEO: Famílias que foram atingidas por enchentes usam tubulações como abrigo

Conheça o programa “Minha Casa, Minha Vida”

Kaiser admite que as pessoas foram submetidas à essa condição em função de ter suas casas inundadas com as enchentes que ocorreram nos últimos dias na Vila Capanema. Problemas na Casa de Bombas do Município causaram as inundações.

Por outro lado, o secretário denuncia famílias que possuem imóveis e que ocuparam as imediações da praça no Santo Afonso ao ver as vítimas das chuvas no local. “O que indigna são os aproveitadores”, reclama. “Tem gente ocupando inclusive uma área de preservação permanente.” A administração municipal já solicitou na Justiça reintegração de posse.

CASO ENCERRADO

A julgar pelas explicações de Juarez Kaiser (foto), o caso está próximo de um ponto final. “A região onde essas pessoas moram já está completamente seca”, garante.

Com o conserto de parte das bombas que fazem o recalque das águas no Rio dos Sinos, o problema teria sido solucionado já na tarde da última segunda-feira, dia 18. “Na quinta-feira, também fizemos um trabalho de retirada de lixo das tubulações.”

A questão a ser resolvida agora diz respeito à condição de moradia das famílias na Vila Capanema. Kaiser não nega a insalubridade do local. Lembra, no entanto, que em outras gestões já foram removidas pessoas da área de risco, que voltou a ser ocupada. “Essas famílias estão lá há uns dois ou três anos.”

REMOÇÃO – O secretário da Habitação tem também boas notícias. As famílias regularmente cadastradas no Bolsa Família serão removidas do local em breve, como reivindicam. A habitação é tratada pelo Governo Tarcísio (PT) como prioridade.

Ainda em 2010, a Prefeitura deve iniciar a construção de 336 casas populares no Santo Afonso e reformar outras 400. Os recursos, segundo Kaiser, já estariam inclusive aportados. São R$ 13 milhões da Caixa Econômica Federal e R$ 5 milhões de contrapartida do Município. Só que a prioridade será para moradores da Vila Palmeira, não da Capanema.

DUAS MIL CASAS EM DOIS ANOS

“É muito gratificante poder mudar a vida das pessoas para melhor.” Em tom de desabafo, Juarez Kaiser promete entregar mais de duas mil casas populares em dois anos – até o final de 2011. O que garantia as construções é o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

O secretário antecipa com exclusividade ao novohamburgo.org que o anúncio das primeiras 250 moradias deve ser feito pelo prefeito Tarcísio Zimmermann (PT) nos próximos dias. Os bairros contemplados, inicialmente, são Boa Saúde, Kephas e Canudos.

FOTOS: reprodução / TV Globo / CMNH

Compartilhar

Pavimentação da Rua Augusto Jung termina nesta segunda-feira

Avançar »

Escolas do Município integraram atividades do Fórum Social Mundial

3 comentários

  1. Marco Antonio Boccasius Johann
    22 de janeiro de 2010

    Provavelmente esses “aproveitadores” possuem casas com ar-condicionado, calefação, lareira, piscina térmica, hidro-massagem, teto-solar, som ambiental, 3 carros, adega, e tudo mais, e só foram morar nesses canos de concreto pelo conforto e praticidade que oferecem. Poupe-nos, senhor Secretário. Aprovetitar o quê???

    Responder
  2. Marco Antonio Boccasius Johann
    22 de janeiro de 2010

    Provavelmente esses “aproveitadores” possuem casas com ar-condicionado, calefação, lareira, piscina térmica, hidro-massagem, teto-solar, som ambiental, 3 carros, adega, e tudo mais, e só foram morar nesses canos de concreto pelo conforto e praticidade que oferecem. Poupe-nos, senhor Secretário. Aproveitar o quê???

    Responder
  3. Jairo Sentim Aquino
    23 de janeiro de 2010

    Acho que eles iam ganhar mais sendo sem terra, e dando tiro nos donos de fazenda e sendo bancados pelos políticos safados la de brasilia.
    Mas tem gente que deve gostar de mora no cano…
    Discordo do MArco, eu trocaria tudo isso, pelo aconchego de um cano, e o zumbido dos mosquitos a noite toda.. =]

    Um abraço BELOOO portal

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*