Chuva e vento de até 133km/h causaram mortes, estragos e deixaram mais de um milhão de pessoas sem água

Estações da Corsan e do Dmae foram atingidas causando desabastecimento de água e, até o momento, mau tempo fez cinco vítimas fatais.

O temporal que chegou ao Estado no início da tarde desta quinta-feira, 19, com vento muito forte, causou estragos pelas cidades e até mortes. Até o momento, cinco pessoas morreram decorrentes de acidentes provocados pelo mau tempo. De acordo com o INMET, as rajadas de vento de 133km/h como registradas em Tramandaí às 14h, são raros. Na Região Metropolitana mais de 1 milhão de pessoas estão sem água, segundo a Corsan, porque a falta de luz durante a tarde desligou os sistemas da companhia em cidades como Alvorada, Viamão, Guaíba, Esteio e Sapucaia do Sul. Canoas está totalmente sem água.

As estações do Departamento de Água e Esgotos –Dmae, em Porto Alegre, também foram afetadas pela forte chuva e estão desligadas por falta de energia elétrica, deixando algumas partes da capital desabastecidas. Ainda não há previsão para a normalização da luz, de acordo com a CEEE.

Três homens e uma mulher morreram por conta do temporal no Estado. A primeira vítima foi Marilu Santos de Azambuja, atingida por um prédio que desmoronou em Porto Alegre. Em Canoas, o operário Eduardo da Silva Berneira foi vitimado com a queda de um muro. A terceira vítima, também na capital, Jorge Marcelo de Brito Camargo, 29, morreu ao ser atingido por uma árvore. O agricultor Pedro da Silva Rosa, de Capivari do Sul, foi a quarta vítima, atingido por um galho enquanto dirigia o trator. Em Canoas, também morreu um sargento da Brigada Militar.

Novo Hamburgo

As secretarias de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (SEMAM), Obras Públicas e Serviços Urbanos (SEMOPSU) e de Segurança e Mobilidade Urbana (SESMUR), juntamente com a Defesa Civil e a Guarda Municipal comunicaram que estão empenhadas em auxiliar os prejudicados pelo temporal que atingiu a cidade de Novo Hamburgo na tarde desta quinta-feira, 19 de novembro.

Segundo o secretário da SESMUR e coordenador da Defesa Civil, Luiz Fernando Farias, durante toda a tarde as equipes estiveram distribuindo lonas e prestando ajuda às famílias que tiveram suas casas destelhadas pelo forte vento. “A guarda está orientando os pontos de trânsito onde ocorreram quedas de árvores, junto com as secretarias que estão realizando a retirada destas”, explica Farias.

Com informações da Defesa Civil RS, ZH e PMNH

Compartilhar

Natal da Cidadania

Avançar »

Polícia Civil de Novo Hamburgo realiza prisão por abuso sexual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*